quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

A Visão da vida no reino

Se nos preocupamos com a nossa formação espiritual ou a de outros, a visão do reino é o lugar por onde devemos começar. Lembre-se: foi por onde Jesus começou. Foi o evangelho que pregou. Ele veio anunciando, manifestando e ensinando a acessibilidade e a natureza do reino dos céus. "Porque para isso fui enviado" (Lc 4:43). (...)

O reino de Deus é o âmbito da vontade efectiva de Deus, onde o que Ele deseja que seja feito, é feito. (...) O planeta Terra e as suas imediações parecem ser o único lugar na criação onde Deus permite que a Sua vontade não seja feita. Por isso oramos: "Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu", e esperamos pelo tempo em que o reino será completamente cumprido aqui na terra (Lc 21:31; 22:18) - onde de facto já está presente (Lc 17:21; Jo 18:36-37) e acessível a todos que o buscam de todo o seu coração (Mt 6:13; 11:12; Lc 16:16). (...)

A visão que alicerça a transformação espiritual na semelhança com Cristo é, então, a da vida agora e para sempre no âmbito da vontade efectiva de Deus - isto é, compartilhar a natureza divina (2Pe 1:4; 1 Jo 3:1-2) por meio de um nascimento "do alto" e participar, com as nossas acções, do que Deus está a fazer hoje na nossa vida terrena. Desse modo, "tudo o que fizermos, seja em palavras seja em acções, façamos em nome do Senhor Jesus, dando por seu intermédio graças a Deus Pai" (Cl 3:17). (...)

A visão da vida no reino, pela fé em Jesus, possibilita-nos desenvolver a intenção de morar no reino com Ele. Podemos de facto decidir fazê-lo. Naturalmente, isso significa em primeiro lugar crer em Jesus, confiar Nele e contar com Ele, como o Ungido, o Cristo. É por obra de nosso Senhor que a revelação e o dom do reino nos chegam de modo individual. Se não contarmos com Ele como "o Único", não teremos uma visão adequada do reino ou da sua vida, nem um modo de lá entrar. Ele é "a porta"; Ele é "o caminho". Encontre outro jeito quem puder.

A Intenção de ser uma pessoa do reino

Desejamos de modo concreto morar no reino de Deus pela intenção de seguir o exemplo e os ensinamentos precisos de Jesus. Essa é a forma que a em Jesus assume na realidade. Não se trata de apenas acreditar nas coisas a seu respeito, por mais verdadeiras que sejam. Realmente, ninguém pode de facto crer na verdade sobre Jesus sem crer Nele, sem intencionar obedecer-Lhe.(...)

(...) Saber as "respostas certas" - ser capaz de indentificá-las - não significa que acreditamos nelas. Acreditar nelas, como acreditar em qualquer outra coisa, significa que estamos prontos para agir como se elas (as respostas certas) fossem verdadeiras e que assim o faremos nas circunstâncias necessárias.(...)

A ideia de que se pode confiar em Cristo e não ter intenção de obedecer-Lhe é uma ilusão gerada pela prevalência de uma "cultura cristã" descrente. (...)

(...) Onde não existe vontade (intenções firmes baseadas numa visão clara) não existe caminho. As pessoas que não intencionam ser transformadas no interior, de forma que a obediência a Cristo "venha naturalmente", não o serão - não importa que meios elas pensam estar empregando.(...)
(...) o problema da transformação espiritual (a sua frequente falta) entre os que se identificam como cristãos nos dias de hoje não se encontra na sua impossiblidade, ou em que os meios efectivos para a sua realização não estejam disponíveis. O problema é que ela não é intencionada. As pessoas não vêem, não percebem o valor, nem decidem realizá-la. Elas não decidem fazer as coisas que Jesus fez e disse.

Os Meios

(...) Se eu pretendo obedecer a Jesus Crsito, além da intenção devo tomar a decisão de me tornar o tipo de pessoa que lhe obedeceria. Quer dizer, devo encontrar os meios para mudar meu ser interior até que fique substancialmente como de Cristo, caracterizado de modo completo pelos seus pensamentos, sentimentos, hábitos e pela sua relação com o Pai.

Os meios para tal fim não estão todos directamente sob o meu controle, pois alguns são acções de Deus em mim. Mas outros estão.

Eu posso(...) treinar o meu pensamento por meio do estudo e da meditação sobre Jesus e sobre os ensinamentos da Bíblia a respeito de Deus, do seu mundo e da minha vida - sobretudo sobre os ensinos de Jesus nos evangelhos, enriquecidos ainda pela compreensão do restante da Bíblia.(...)
Posso aprender sobre a vida de conhecidos "santos" e meditar sobre elas, sobre os homens que praticaram de maneira contínua, na vida real, o modo de Jesus em relação aos seus adversários e aos necessitados.(...)
Eu posso honesta e repetidamente orar para que Deus opere no meu ser interno, a fim de mudar as coisas ali, tornando-as capazes de me fazer obedecer ao seu Filho.


Dallas Willard, em "A Renovação do Coração"





Um comentário:

Alice disse...

Olá Paulo !! muito bom esse texto !!
Vejo que vc tb ainda não conseguiu "arrumar" o lay-out do seu blog... não sei o que houve com a Marcia, ela sumiu mesmo, e estou preocupada, hoje vou telefonar para ela.
No meu blog foi pior, tive que resgatar os linkas e tudo mais , então resolvi mudar tudo e peguei um modelo oficial do blogspot... voui ver se a Marcia consegue colocar pelo menos a foto..
bjkas pra vc

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...