segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ E ABENÇOADO 2013!!!






A todos os visitantes, leitores, amigos e irmãos, desejo um Ano de 2013, com tudo o que permita que juntos nos tornemos pessoas melhores, mais humanas e fraternas. 

«A vida, nas suas várias expressões (laborais, familiares, afetivas…) precisa de recomeços que o sejam verdadeiramente. Não nos podemos instalar simplesmente nas vitórias de ontem, nos saberes adquiridos de um dia, nas experiências de uma determinada etapa. 

O recomeço supõe uma abertura esperançada em relação ao hoje, encarando-o com a pobreza e a ousadia de quem aceita, depois de ter percorrido já uma estrada, considerar que está novamente, e que estará até ao fim, a viver sucessivos pontos de partida.»

José Tolentino Mendonça

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

FELIZ E SANTO NATAL PARA TODOS!



«Se, nas nossas vidas,
cada noite pudesse vir a ser como uma noite de Natal,
uma noite iluminada,
a partir de dentro...

Já não sabendo como fazer para ser compreendido,
o próprio Deus veio à Terra, pobre e humilde:
se Jesus Cristo não tivesse vivido no meio de nós,
Deus permaneceria longínquo, inatingível.
Pela sua vida,
Jesus concede-nos a graça de ver Deus de forma transparente.»

Irmão Roger, de Taizé, em "Viver em tudo a paz do coração

domingo, 23 de dezembro de 2012

DEUS CONNOSCO





«O Deus Connosco não aparece entre nós como um líder valente ou um chefe carismático que motivo em nós a vontade de lutar. O Deus Connosco não aparece no meio de nós como alguém forte a provocar em nós a capacidade de obedecer. O Deus Connosco aparece no meio de nós como alguém que quer provocar em nós a Sensibilidade, despertar o que há de mais íntimo em nós. Deus vem visitar-nos para despertar em nós o carinho, a ternura, os sentimentos da nossa mais profunda humanidade. Essa é a sua ideia… converter-nos, antes de tudo, à sensibilidade, à ternura, à doçura dos gestos, das palavras e das intenções.

Quando, muito tempo depois, aquele Deus Connosco disser que se identifica com os que têm fome, os que têm sede, os que estão nus e precisam de ser vestidos, os que não têm que os acolha, os que precisam de ser visitados, conhecidos e amados, é apenas a história deste presente a ser desembrulhado, o significado daquele quadro do Natal a ser explicado por inteiro… e a ajuda que o Espírito nos dá, a nós que temos tanta dificuldade em entender certas coisas, que é dessa maneira e nessa gente que podemos aproveitar a oportunidade de amar o Deus Connosco, a oportunidade tantos dias oferecida de podermos mimá-lo, niná-lo, dizermos-lhe que o amamos, amamenta-lo e dar-lhe colo, dizermos-lhe que o amamos e provarmos-lhe que ele é a melhor coisa que nos aconteceu na vida...»

Rui Santiago

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A LUZ INEXTINGUÍVEL




"Dá-nos Senhor, neste tempo,
a alegria como alento revitalizador:
inscreva ela em nós o sabor da vida abundante e multiplicada;
perfume cada um dos nossos gestos;
traga às nossas palavras a luz daquela estrela
que o Teu Nascimento para sempre acendeu.

Que o Teu Nascimento inspire cada um dos nossos renascimentos
Que a Tua presença, nos ensine o que significa tornar-se presente
E o dom que fazes de Ti, nos ajude a tecer a vida
como quem entretece uma história de amor."

José Tolentino de Mendonça

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

ARMOU ENTRE NÓS A SUA TENDA





"Deus perdeu todas as maneiras 
quando desobedeceu a todos os códigos das divindades 
e bateu atrás de Si a porta do céu.
E gritou nesse dia: o céu é para os ídolos! 
E os ídolos bem queriam mandar vir mas não podiam 
porque têm boca mas não falam. 

E Deus fez-Se à nossa Imagem e Semelhança. 
E nós vimos a Sua Glória, cheia de Graça e de Verdade, 
quando armou entre nós a Sua Tenda. 

E ninguém estaria à espera que Deus fosse mais Humano que nós! 
Quando Deus vem, a gente apanha com surpresas destas..."

Rui Santiago

domingo, 16 de dezembro de 2012

EU ACREDITO!


«Acredito num Deus-Connosco, um Deus Pessoal que a cada um de nós conhece pelo próprio Nome, que a cada um beija as feridas e as dores de ser gente, que com cada um se compromete na medida inesgotável da Sua Ternura e Fidelidade

Acredito que a Vida está cheia de Sentido porque nós e Deus não queremos senão uma só e a mesma coisa: que sejamos Felizes. 

Acredito, como se não houvesse nada de melhor em que acreditar, que, mesmo quando eu me esqueço disso, mesmo quando eu me engano, mesmo quando eu falho, Deus não Se esquece, Deus não Se engana e Deus não me falha. 
E é neste Amor que supera toda a minha capacidade de o merecer que eu enraízo a minha Fé e a minha Esperança. 
Acredito que, enquanto limpamos do rosto as nossas lágrimas, a Festa da Vida Cheia para a qual todos estamos chamados, já começou! 

Acredito que a morte é a “soleira da porta lá de Casa”, a casa de Deus Pai que é a nossa Casa também porque, por aqui, não somos mais que peregrinos. Todos estamos de passagem, a nossa Vida é uma viagem até Casa. 

Acredito que Jesus de Nazaré, o Re-Suscitado por Deus, é o anfitrião da Festa da Ressurreição para todos, é quem, num abraço infinito, nos Re-Suscita também porque enche a nossa Vida com a própria Vida que recebe de Deus. »


Rui Santiago

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

É COISA SÉRIA A ALEGRIA!


"É coisa séria a Alegria! É coisa tão séria a Alegria que Jesus a coloca no coração da sua despedida dramática, no centro da Hora mais intensa da sua convivência com os discípulos e discípulas. Uma das coisas mais sérias que Jesus tem para nos transmitir é o desejo de vivermos na sua Alegria, coisa que vem juntinha ao mandamento do amor pelos irmãos.

Porque, se calhar, não se pode mesmo separar...

Acredito totalmente em Jesus quando ele diz que é razão de ser de tudo o que nos dá a conhecer partilhar connosco a sua Alegria e levar-nos à experiência da Alegria mais profunda e mais completa.

Há uma Alegria que vem de dentro, que faz parte da arte de nos tornarmos pessoas da Esperança e da Liberdade! Ser da Esperança e ser da Liberdade gera em nós a nascente interior de uma Alegria capaz de confundir todas as lógicas e vencer todas as fatalidades."

Rui Santiago

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

VIVO ENCANTADO COM JESUS


"Encanta-me a Religião de Jesus, homem como nós e bom como Deusque por acreditar tão bem em Deus, foi capaz de uma espantosa Fé no Ser Humano. As pessoas eram para Jesus um lugar de Fé e a História Humana era o terreno concreto da sua Esperança.


Estamos feitos para gostar de pessoas… mas como ganhámos medo de nos expormos ou acreditámos que não confiar é mais seguro, vamo-nos chegando atrás diante dos Homens julgando-os. O juízo sobre os outros é uma maneira de nos afastarmos deles e de manter tudo e todos a uma distância de segurança suficiente para que nenhuma originalidade pessoal venha desorientar os nossos esquemas ou questionar a nossa mentalidade


Estamos feitos para gostar de pessoas. Jesus dizia que que um único mandamento chegava para resumir o espírito da sua Religião: “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. Por outras palavras: permiti-vos ser o que sois! O Mandamento do Amor não nos aponta alguma coisa fora de nós, mas a realização do que verdadeiramente somos."

Rui Santiago

domingo, 9 de dezembro de 2012

A FÉ É...


 é a experiência de confiança em Deus pela qual nos sentimos seguros de que não esperamos nem amamos em vão.
A é um Espanto diante da Beleza de Deus e da Vida. 
A é um Desconforto diante do Sofrimento, um Incómodo diante da Injustiça. 
A é uma Inimizade com o Mal. 
A é uma Esperança, uma Atração pelo Futuro de Deus que é a Plenitude dos Homens! 
A é uma Revelação do Agir de Deus a fecundar o húmus da História, 
um Encantamento pela Vitalidade do Poema Criador 
que a Sua Boca não cessa de Fazer. 
A é uma Narrativa de Boas Notícias e surpresas de Salvação. 
A é um pôr-se-a-jeito do Deus que Vem, que passa, visita o Seu Povo.

Rui Santiago - http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

SÓ PODE O QUE PODE O AMOR

"Abdico serena e jubilosamente da omnipotência de um "deus super-herói".

Acredito até às entranhas no Deus Amor-Omnipotente!!!
Pode tudo, sim, pode tudo o que pode o Amor. Mas... só pode o que pode o Amor... E na minha Vida já descobri que há muitas coisas que o Amor não pode...

Acredito que abrir-se à Omnipotência Amorosa de Deus implica reconhecer também as "impotências" do Seu Amor..

O Amor não se impõe... propõe-se!
O Amor não subsitui... inspira!

O Amor não força... respeita!"

Rui Santiago - http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

CORAÇÃO PURO

«Felizes os puros de coração...»

O coração límpido e puro é a transparência duma Presença luminosa e amorosa, que se manifesta em gestos humildes e graciosos que geram Esperança e Vida.

domingo, 2 de dezembro de 2012

A BOA NOTÍCIA DA NOSSA FÉ

"Acredito que a Boa Notícia da nossa Fé, da verdadeira Fé revelada em Jesus, não é a transmissão da maneira de irmos para o céu, mas a revelação maravilhosa de que o céu veio a nós e nunca mais se foi embora.(...)
Acredito que Jesus transformou o invisível Projecto de Deus num visível Programa de Vida concreto, numa maneira humana de viver." Rui Santiago

As palavras de um maravilhoso mestre da vida espiritual, Henri Nouwen, estão em perfeita sintonia com as palavras do Rui:

«O grande mistério da vida espiritual – a vida em Deus – é que não temos de esperar por ela como algo que acontecerá depois. Jesus diz: «Estai em Mim como Eu estou em vós.»
É a presença activa de Deus no centro do meu viver – o movimento do Espírito de Deus dentro de nós – que nos dá a vida eterna.»
Henri Nouwen, em "Aqui e Agora"

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O NOSSO NOME

De tanto me moldares, tens o meu nome gravado nas palmas das Tuas mãos amorosas. 

«Há pessoas cujo nome nós não podemos deixar de dizer quando contamos a nossa história. 
Deus não é capaz de contar a Sua História sem dizer o nosso nome. " Rui Santiago

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A TRANSPARÊNCIA DE UM HOMEM VIVO

Vive de tal maneira,
Vive com tal intensidade a vida,
Vive com tamanha beleza e encanto,
Vive com tal autenticidade e verdade,
Vive com verdadeira esperança,
Vive com tal gozo e graça,
Que a tua vida seja uma explicação
do Evangelho de Jesus.

Vive de tal maneira que se veja através de ti - o Outro.

Adaptação de um excerto de uma lectio divina proferida por Rui Santiago.

domingo, 25 de novembro de 2012

CRISTO HABITA EM NÓS


«A surpresa da presença de Jesus, o Ressuscitado, cria em ti uma morada de luz. 
Ela ilumina mesmo quando tudo parece envolto em obscuridade e brilha como brasas debaixo da cinza.
Por vezes, perguntas-te a ti mesmo: o fogo que há em mim vai apagar-se? Não foste tu que o acendeste, não são as tuas dúvidas que O vão lançar para o nada. (...)

Viver intensamente cada dia supõe deixar-se habitar por Cristo. A Sua Palavra é muito clara: "hoje quero entrar em tua casa

Irmão Roger, de Taizé, em "Oração: A Frescura de uma Fonte"

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O EVANGELHO DE JESUS


"O Evangelho de Jesus não é o ensinamento pelo qual aprendemos a “ir para o céu”, mas a Notícia, Boa, de que o Céu veio ter connosco! 
Deus vem, não para os piedosos e para os “santinhos”, mas para os pecadores e os famintos de Vida digna, livre, feliz."

Rui Santiago - http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/

domingo, 18 de novembro de 2012

FELIZ...



"Feliz de quem, surpreendido por uma situação incómoda, ousa dizer a si próprio: «Sou como o pássaro que canta entre os espinheiros de um silvado» (João XXIII, Diário da Alma)
O Evangelho não nos convida a acolher o Espírito Santo nessa parte de nós mesmos onde permanece o coração da nossa infância?" 

Irmão Roger, de Taizé, em "Viver em tudo a Paz do Coração

sábado, 17 de novembro de 2012

FLOR NO DESERTO



«Atravessas períodos em que tudo parece um deserto? Nesses momentos em que parece que nada se passa em ti, desabrocha, com muito pouco, uma flor no deserto.»

Irmão Roger, de Taizé, em "Viver em tudo a Paz do Coração"

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Pai de Jesus e Pai Nosso


Do meio do trigo e do pão, do coração, 
oiço então a voz de Deus, que me dá a mão. 
Agarro-me. 
Sinto sulcos gravados nessa mão. 
Sigo-os com o dedo devagar. 
Percebo que são as letras do meu nome, os traços do meu rosto. 

Foi então por mim que desceste a este chão. 
O amor verdadeiro está lá sempre primeiro.



António Couto

http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2012/11/pai-de-jesus-e-pai-nosso.html

terça-feira, 13 de novembro de 2012

FRANCISCO E CLARA



"Nada há a dizer dela, a não ser que eles se completam como os dois pilares do arco-irís, passando de um ao outro todos os cambiantes de amor, todas as cores do sonho. Nada há a dizer dela senão o seu nome, e o seu nome diz o que ela é, o que ela dá: Clara, Clareira, clarabóia, clarividente, clarão, aclaramento: todos estes nomes estão no seu nome, todas estas luzes vêm dela (...) 

Amam-se do mesmo amor, são feitos para se entenderem, ébrios do mesmo vinho. Ela troca o seu vestido resplandecente por um grosseiro gabão de lã, e ei-los por muitos anos juntos e separados, ele apanhando na armadilha da sua voz as aves do céu, os bichos dos campos e os homens das cidades, ela ajuntando nas malhas de Deus um número cada vez maior de raparigas, cada vez mais bonitas. (...) 

Dois caçadores furtivos. Dois nómadas nas propriedades invisíveis de Deus (...) 

Reunidos pela conversa sem fim das almas, por esse deslumbramento de se ter encontrado o interlocutor privilegiado, aquele e aquela que tudo ouvem, mesmo os silêncios  mesmo o que não se saberia dizer para consigo no silêncio, a irmã, o irmão, sem quem o tempo passado na terra só teria sido tempo - nada mais(...)

Ele morreu antes dela, coisa sem importância, pois o amor, desde o seu advento, desde o seu primeiro frémito, aboliu os velhos decretos do tempo, suprimiu estas distinções do antes e do depois, tendo unicamente mantido o hoje eterno dos vivos, o hoje enamorado do amor.» 

Christian Bobin, em "Um Deus à flor da terra"

domingo, 11 de novembro de 2012

PESCADORES DE HOMENS (2ª parte)


Ao chamá-los, Jesus compromete-se com eles e dá-se a eles de uma maneira incondicional. Jesus não compromete simplesmente pessoas consigo ou com a causa do Reino… Antes disso, e mais importante, Jesus compromete-se com elas! Ao convidá-los a tornarem-se seus discípulos, é ele que assume o compromisso com eles, e não o contrário. A eles pede-lhes que o sigam. Que o descubram e se descubram novos no convívio com ele…

Jesus não os “roubou” do que viviam… Mas tudo fica diferente quando ele entra na vida dos seus. “Imediatamente, deixando as redes, seguiram Jesus.” Deixaram as redes, não o barco nem o seu mundo… Jesus não os rouba do seu mundo; antes, mete-se nele! Ao longo de todo o evangelho encontramos Jesus a percorrer as aldeias piscatórias onde se moviam alguns dos seus discípulos certamente há muito mais tempo que ele, que era de Nazaré, bem longe dali. A sua missão desenrola-se toda à volta do grande lago da Galileia, com as gentes destas povoações. Jesus não lhes pediu que vendessem o barco ou o abandonassem… Pelo contrário, vemo-lo a usá-lo para se dirigir às multidões que se aglomeravam às vezes na margem. Subia ao barco, entrava um pouco no lago, e falava daí.

O Reino acontece do lado de dentro da vida dos discípulos de Jesus, não fora, dentro das situações concretas que viviam, das ocupações que tinham, das pessoas que conheciam, das povoações que percorriam… É a partir daí que o Reino começa a emergir e a difundir-se, pela força de Jesus, cheio do Espírito.


Rui Santiago

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

PESCADORES DE HOMENS (1ª parte)


Jesus nunca procurou rodear-se de letrados na Lei, nem fariseus, nem gente piedosa de Jerusalém, que gravitavam à volta do Templo e do seu deus sempre insatisfeito. Queria gente calejada da vida, que conhecesse os meandros das experiências humanas mais profundas e reais, ainda que não as soubessem dizer com palavras bonitas, gente que soubesse comungar com as dores das pessoas que encontrassem no caminho, ainda que não fossem capazes de ler uma leitura na sinagoga aos sábados nem fazer um comentário à volta das minúcias desta ou daquela profecia…

Jesus entrava na vida destes homens e abria-lhes uma esperança, tocava dentro deles num ponto qualquer misterioso que os fazia sentirem-se desejosos de experimentar a aventura do Reino tal como ele a propunha, como um caminho de libertação das pessoas, de compromisso vital com elas no mais concreto, aí onde a vida acontece, onde a vida dói e morre às vezes, mas também se cura e re-suscita: “Pescadores de Homens”! Tudo parecia possível…. Com ele, sim! Inundava-os de uma esperança capaz de abandonar os barcos, as redes ou a mesa de cambista…


Quando os chama a serem seus companheiros e discípulos, não os chama em função de si mesmo, nem em função do que eles têm que “fazer”. Não lhes propõe que se voluntariem em função de uma causa “fora” deles… É mais profundo! Jesus compromete-se com eles: “Eu farei de vós…” “Eu farei de vós pescadores de homens”, diz-lhes Jesus. Não é um novo ofício que lhes está a dar, uma nova ocupação em regime de voluntariado solidário… É uma nova vida que lhes promete e com a qual se compromete ele mesmo: “Eu farei de vós...”Promete-lhes que ele mesmo fará dos seus outra coisa, fará neles coisas novas, lhes dará um futuro que sozinhos não constroem.


Rui Santiago

terça-feira, 6 de novembro de 2012

SÓ DEUS CONHECE NOSSOS CORAÇÕES


Apresentaram-lhe um paralítico, deitado num catre. Vendo Jesus a fé deles, disse ao paralítico: «Filho, tem confiança, os teus pecados estão perdoados.» Alguns doutores da Lei disseram consigo: «Este homem blasfema.» Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: «Porque alimentais esses maus pensamentos nos vossos corações? (Mateus 9, 2-5)

Há mais de um século, Abraham Lincoln fez uma observação que se tornou famosa: “Pode-se enganar a todos durante certo tempo e a alguns todo o tempo, mas não se pode enganar a todos todo o tempo”. Ainda assim, continua a haver muitos políticos que continuam a tentar!

Para nós, um importante corolário desta frase é que nunca se pode enganar Deus, nem mesmo por um instante! Mas parece que a nossa persistência não tem limites...
Nesta passagem bíblica, Jesus mostra uma vez mais a sua capacidade de ler o coração dos seus interlocutores. Esta aptidão foi, aliás, a causa de uma das maiores tristezas que o acompanhou permanentemente pois Ele podia ver a inveja e o ódio que tantas pessoas dirigiam contra ele.

O que é que Jesus vê quando lê os nossos corações? Sem dúvida que vê a nossa bondade – que nós próprios, tantas vezes, não conseguimos enxergar – e vê o nosso desejo de sermos verdadeiros e de realizar atos de amor. Mas há outra parte de nós que ele também vê: os nossos pecados e faltas, naturalmente, e também aqueles quartos fechados cujas portas nem sequer ousamos abrir.
Se Deus vê o que há dentro de nós e não nos rejeita, porque haveremos de ter medo desses quartos escuros e de olhar para aquelas dimensões da nossa vida que nos fazem estremecer só de pensar em as encarar? Não deveríamos ter esses receios porque não há nada que, com Deus, não seja possível enfrentar.
Lembremo-nos disto, confiemos nEle e abramos essas portas agora!

domingo, 4 de novembro de 2012

A ALEGRIA


«A alegria é um pássaro que só vem quando quer. Ela é livre. O máximo que podemos fazer é quebrar todas as gaiolas e cantar uma canção de amor, na esperança de que ela nos ouça. Oração é o nome que se dá a esta canção para invocar a alegria.» 

Rubem Alves

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

SEM OLHAR PARA TRÁS



«Seguir Cristo com um coração determinado não significa atear fogos de artifício, que produzem fortes clarões mas rapidamente se extinguem. 
Segui-lo é entrar e perseverar num caminho de confiança, que pode durar toda uma vida.

O Evangelho sugere que não olhemos para trás (Lucas 9,62), que não nos detenhamos nos nossos fracassos.»

Irmão Roger, de Taizé

quarta-feira, 31 de outubro de 2012


Jesus Cristo. Amor de todo o amor, 
estavas sempre comigo sem eu o saber. 
Estavas comigo e eu esquecia-Te. 
Eras o coração do meu coração e eu procurava-Te noutro lugar. 
Mesmo quando eu me afastava de Ti, Tu esperavas por mim. 
Agora chegou o dia em que posso dizer: 
Tu, o Ressuscitado, és a minha vida, estou em Cristo, sou de Cristo.

Irmão Roger, de Taizé

domingo, 28 de outubro de 2012

NO PRINCÍPIO, ERA O AMOR...


«Deus diz: "Antes de nasceres, já te tinha sonhado". Quando compreendermos que Deus nos amou primeiro, mesmo antes de nós O amarmos, nos enchemos de assombro. A contemplação não é mais do que esta disposição em que a pessoa é agarrada toda inteira na surpresa do amor.

Todos nós temos feridas, mas há sobretudo, em cada um, o mistério da presença de Deus.» 

Madre Teresa de Calcutá

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

SOBRE AMAR OS INIMIGOS


«A grande novidade do Evangelho não é tanto o facto de que Deus é Fonte de bondade, mas que os homens podem e devem agir à imagem do seu Criador: «Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso!» (Lucas 6,36). 
Através da vinda do seu Filho até nós, esta Fonte de bondade está agora acessível. Tornamo-nos, por nosso lado, «filhos do Altíssimo» (Lucas 6,35), seres capazes de responder ao mal com o bem, ao ódio com amor. Vivendo uma compaixão universal, perdoando aos que nos fazem mal, damos testemunho de que o Deus de misericórdia está no coração de um mundo marcado pela recusa do outro, pelo desprezo em relação àquele que é diferente.

As palavras de Jesus indicam duas maneiras de viver. A primeira é a dos «pecadores», dito de outra forma, dos que se comportam sem referência a Deus e à sua Palavra. Esses agem em relação aos outros em função da maneira como eles os tratam, a sua reacção é de facto uma reacção. Dividem o mundo em dois grupos, os amigos e os que o não são, e fazem prova de bondade só em relação aos que são bons para eles. A outra forma de viver não põe em primeiro lugar um grupo de homens, mas sim o próprio Deus. Deus, por seu lado, não reage de acordo com a maneira como o tratam; pelo contrário, «Ele é bom até para os ingratos e os maus» (Lucas 6,35).

Jesus chama assim a atenção para a característica essencial do Deus da Bíblia. Fonte transbordante de bondade, Deus não se deixa condicionar pela maldade de quem está à sua frente. Mesmo esquecido, mesmo injuriado, Deus continua fiel a si próprio, só pode amar

Impossível para os humanos entregues às suas próprias forças, o amor pelos inimigos testemunha a actividade do próprio Deus no meio de nós. Nenhuma ordem exterior o torna possível. Só a presença, nos nossos corações, do amor divino em pessoa, o Espírito Santo, permite amar assim.»

http://www.taize.fr/pt_article594.html

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O JEITO DE AMAR


«A identidade espiritual da pessoa, isto é, o seu jeito de amar é a veste nupcial com a qual vai tomar parte no banquete da Comunhão Universal. A vida pessoal e espiritual não se situa ao nível do físico, isto é, não se pesa ao quilo, não se avalia pelo volume, não se mede ao metro, nem se analisa pelo cálculo das superfícies. Para conhecer a qualidade e a grandeza da vida espiritual de uma pessoa basta analisar o seu jeito de amar.

É por esta razão que no Reino de Deus as pessoas são evidentes umas para as outras, pois a sua identidade consiste no seu jeito de amar. Por outras palavras, cada pessoa está presente na festa da Família de Deus com o jeito de amar que adquiriu enquanto viveu na História.

O amor é, portanto, o critério definitivo. O ser humano está a caminhar para a plena reciprocidade onde cada pessoa se possui na medida em que se dá. Isto significa que a pessoa, ao dar-se, não se perde e que será eternamente mais divino quem mais crescer na capacidade de amar...»

Para ler na íntegra: http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2012/06/imagem-de-deus-no-amor.html

domingo, 21 de outubro de 2012

SEM MIM...


«Sem mim, nada podeis fazer.» João 15,5


«Não tenho milagres para te dar. Mas tenho milagres para te propor.
Não tenho milagres para te fazer. Mas há milagres que podem acontecer entre nós.
Às vezes gostava que tivesses menos crenças acerca de mim e mais Fé em ti mesmo e do que nós podemos fazer juntos!
Assentas os pés na Esperança que te proponho, e em verdade em verdade te digo que estarás a condenar à morte os medos que te habitam. O medo é a noite da alma, a cegueira dos sentidos.
Conheço-te tanto quanto te amo e vejo-te tão bem quanto te quero. 
És maior que todos os teus pecados. Nada nem ninguém te poderá separar do meu amor. Não está ao teu alcance a possibilidade de eu deixar de te amar!

Há-de haver um dia para cada um de nós que levamos o belo nome de "cristãos" - quer dizer, os "crísticos", os que têm a pinta do Cristo Galileu - em que perceberemos que a Fé em/de Jesus é um estilo de vida, é uma vida com estilo, um certo estilo, um estilo certo...»

Rui Santiago 

http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2012/07/recado.html


sábado, 20 de outubro de 2012

A BELEZA DE DEUS



«Deus não nos seduz com a sua eternidade, mas com a beleza dos gestos de amor de Jesus Cristo, com os sulcos traçados na consciência pelos encantos do mundo que existe.» 

Autor desconhecido

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

É BELO PERTENCER A CRISTO



«A sua vida era ditosa, feliz: era um rabino que tinha a alegria de viver, que gostava dos banquetes e das flores do campo, que sabia apreciar as belas pedras do templo e o perfume vertido sobre ele, o abraço das crianças e a carícia dos cabelos imbuídos de nardo da amiga.
Que significa obter a fé? É adquirir a beleza do viver, descobrir que é belo viver; é belo amar, criar, gerar, pôr a vida nas mãos de quem põe a sua vida nas tuas. É belo pertencer a Cristo e ao Evangelho, porque tudo tem um sentido positivo, tudo se encaminha para a vida e não para a morte, para um desfecho luminoso aqui e na eternidade. Para uma vida boa, bela e venturosa.»

Ermes Ronchi, "Tu és Beleza"

domingo, 14 de outubro de 2012

DEUS DA FRAGILIDADE


«Não quero um Deus que se erga na justiça absoluta, no poder ilimitado, na perfeita inteligência. Seria um Deus que não sente a necessidade de se inclinar numa carícia, quando se eleva um gemido de dor. 
Pelo contrário, o meu Deus é Jesus: que conhece a pressão do medo, a dor da recusa, a paixão do abraço, o calafrio pela carícia dos cabelos embebidos em nardo da mulher pecadora e amorosa.
Um Deus que me concede o direito de ser débil, «cana rachada», frágil como um homem e não hirto como um herói. E não me condena se sou mecha fumegante, mas pega neste meu fio de fumo, presságio de fogo possível, trabalha-o e protege-o, até dele fazer irromper de novo a chama. Não acaba por quebrar a cana rachada que eu sou, mas enfaixa-a como se fosse um coração ferido. Deus da fragilidade.»

Ermes Ronchi,em  «Tu és Beleza»

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

AS SURPRESAS DE DEUS


«Deus nunca esgota as surpresas. Para quem sabe ver e amar, todos os dias são cheios delas, até à hora derradeira. Então a melhor surpresa de Deus cairá nas nossas mãos porque soubemos como ver e o que amar.»

P. Dennis Clark 

domingo, 7 de outubro de 2012

"Não te deixes desencorajar pelos fracassos. Se procuraste fazer a vontade de Deus, cada fracasso pode ser um êxito aos seus olhos, pois foi esse o modo escolhido por Deus. Repara no exemplo de Jesus na Cruz."

Francisco Xavier Nguyen Van Thuan

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

INTIMIDADE COM DEUS

"O tempo da oração é um momento de intimidade com Deus, que é teu Pai. Não é como escrever uma composição; está em jogo o coração, e não a cabeça. Não esforces o cérebro nem coces a cabeça para saber como te hás-de apresentar a Deus."

Francisco Xavier Nguyen Van Thuan

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

POR AMOR A DEUS

"O explorador do fundo do mar ou o astronauta, na sua nave espacial, lançam-se à aventura em nome da ciência. Quando tu deixares tudo por amor a Deus, talvez arriscando todo o teu ser por Ele, então a autenticidade da tua vida interior tornar-se-á evidente aos olhos dos outros."

Francisco Xavier Nguyen Van Thuan

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

CARIDADE


Um ancião disse: «Tudo o que distribuis como esmola por temor a Deus, não o dês com dureza e frieza, mas olha o pobre com alegria na alma e com um rosto doce, e eleva-o assim acima de ti com honra, sabendo que a oferenda ao pobre é do agrado de Cristo e que o Senhor ama aquele que dá com alegria».

Dizem os que o conheceram, que o aba Agatão, quando tinha de ir fazer compras ao mercado, olhava à sua volta para escolher o vendedor. Se visse uma viúva em dificuldades com o objecto que ele pretendia adquirir, perguntava-lhe: «Por quanto vendes isso?» E dava-lhe o que ela lhe pedia; mas, se não tivesse dinheiro suficiente, dizia-lhe apenas: «Perdoa-me».

Um irmão foi ter com uma viúva para lhe comprar pano. E ela gemia, enquanto estava a servi-lo. O irmão perguntou-lhe: «O que tens tu?» A viúva respondeu: «Foi Deus que te mandou ter comigo para que os meus filhos tenham que comer». O irmão, ao ouvir estas palavras, teve pena dela, e sem que ela desse conta, deixou o pano que tinha pago, junto da viúva.

Do livro: «Os Padres do Deserto»

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

ORAR SEM CESSAR

"É preciso lembrar-se de Deus em todo tempo, em todo lugar e em todas as coisas. Se fabricas alguma coisa, deves pensar no Criador de tudo o que existe; se vês a luz do dia, lembra-te Daquele que criou a luz para ti; se olhas o céu, a terra e o mar e tudo o que eles contêm, admira, glorifica Aquele que tudo criou; se te vestes com uma roupa, pensa Naquele de quem a recebeste e lhe agradece, a Ele que provê a tua existência. Em resumo, que todo movimento seja para ti um motivo para celebrar o Senhor: assim rezarás sem cessar e tua alma estará sempre alegre".

"Relatos de um Peregrino Russo"

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

O SABOR DE DEUS


"Não é o muito saber que sacia a alma, mas o saborear as coisas internamente". 

Santo Inácio de Loyola

«Jesus não nos transmite fórmulas, Jesus introduz-nos numa dimensão existencial e prática, dá-nos acesso a uma experiência filial. Jesus não nos dá um saber. Dá-nos o sabor de Deus. Um saborear.»

José Tolentino de Mendonça

domingo, 23 de setembro de 2012

A MORTE...

"... A morte onde cada um entra absolutamente só,levando consigo unicamente o que se deu.O que não se deu fica aí e apodrece pouco a pouco;mas o que se deu é transformado em ser e vai com a pessoa para a eternidade. Porque o nosso ser constrói-se com o que damos..." 


François Varillon, em "Alegria de Crer e Viver

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

EU ACREDITO...

"Eu acredito no cristianismo como acredito que o sol nasce todo dia. Não apenas porque o vejo, mas porque através dele eu vejo tudo ao meu redor." 

C.S. Lewis

terça-feira, 18 de setembro de 2012

«Se uma neblina interior nos afasta da confiança da fé, não é por isso que Cristo nos abandona. Ninguém é excluído do seu amor, nem do seu perdão.» 

Irmão Roger, de Taizé

domingo, 16 de setembro de 2012

«Será que Cristo não veio à terra para que todo o ser humano saiba que é amado?» 

Irmão Roger, de Taizé

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

DUAS FORMAS DE AMOR

"Há dois tipos de pessoas, porque há duas formas de amor.
Um amor santo, outro egoísta.
Um se preocupa com o bem comum em favor do entendimento mútuo e da fraternidade espiritual,
o outro procura submeter o bem comum ao próprio bem,
satisfazendo a arrogância e a ânsia de domínio;
um é submisso a Deus,
enquanto o outro trabalha para igualar-se a Deus.

Enquanto um trabalha pela paz,
o outro é insubordinado;
um prefere a verdade às honras humanas,
o outro anseia pelos louvores, ainda que sejam falsos;
um é amigo,
o outro é invejoso;
um deseja para o próximo o mesmo que deseja para si,
o outro deseja submeter o próximo a si mesmo;
um ajuda os demais interessado neles,
o outro se interessa por si mesmo."

(Santo Agostinho)

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

AMOR INFINITO E INCONDICIONAL

«Trata-se de uma autêntica revolução interior: proceder de maneira a não me apoiar no amor que tenho a Deus, mas exclusivamente no amor que Deus me tem...
Quando já não acreditares no que podes fazer por Deus, continua a acreditar no que Deus pode fazer por ti...
Deus não me ama por causa do bem de que sou capaz, do amor que Lhe tenho, mas ama-me de uma maneira absolutamente incondicional, por causa de Si mesmo, da Sua misericórdia e da Sua infinita ternura, unicamente em virtude da Sua Paternidade para comigo.

Esta experiência produz um grande abalo na vida cristã, que vem a ser uma graça imensa: o fundamento da minha relação com Deus, da minha vida, não mais está em mim, mas total e exclusivamente em Deus.»

Jacques Philippe, em "A Liberdade Interior"

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A NOSSA MISSÃO

«Como cristão, interpreto a minha missão no mundo da seguinte forma: Deus - tal como Romano Guardini disse, certa vez - pronunciou sobre mim uma palavra original que pensou apenas para mim. Diria que se trata de uma palavra-passe que só serve para mim.
A minha missão consiste em deixar que essa palavra única de Deus, que em mim encarnou, se torne perceptível neste mundo.
Posso dizer que gostaria de deixar neste mundo a minha marca de vida muito pessoal. Gostaria de voltar a irradiar neste mundo aquilo que Deus colocou em mim. Mas, o que é afinal, a minha marca de vida? Reconheço-a quando escuto o que existe dentro de mim e sinto que sou consistente. E reconheço-a quando me reconcilio com a minha história de vida.
Muitas vezes, é precisamente nas minhas lesões espirituais que consigo descobrir a marca que posso deixar neste mundo. No lugar onde me sinto magoado, também me abro ao meu verdadeiro ser, à palavra única que Deus pronunciou em mim.»

Anselm Grün, em "O Livro das Respostas"

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

NÃO OLHAR PARA TRÁS

«O Evangelho sugere que não olhemos para trás (Lucas 9,62), que não nos detenhamos nos nossos fracassos.»

Irmão Roger, de Taizé

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O AMOR É MAIS FORTE QUE TUDO

- Papai…!
- O que foi, filha?
- Estou com medo…
- Medo de quê?
- De monstros!
- Monstros?
- É… Eles estão aqui!
- Filhinha… Deixa eu te dizer uma coisa: onde existe amor não há lugar para monstros. Os monstros têm medo do amor. O amor é maior que os monstros. O amor é maior que tudo. E você é muito amada, minha flor.
- Quer dizer que onde não tem amor os monstros vêm?
- É, querida, você disse uma grande verdade… Onde não há amor nossos monstros, nossas feras, nossos demônios aparecem, entram e fazem moradas.
A essa altura do meu discurso metafísico sobre as implicações do conflito apocalíptico entre os monstros que habitam a imaginação fértil de minha filha recém-adotada e o amor, meus olhos, encarando-a com toda a ternura do mundo se encheram de lágrimas, enquanto os seus, verdes e claros como o mar de Natal, sorriram pra mim, ante a constatação de que o amor estava presente ali entre nós, que os monstros haviam se dissipado todos como fumaça, e que era hora de dormir na mais profunda paz de criança.Nosso breve tratado filosófico-teológico se encerrou num abraço apertado (de ambos), molhado (por minhas lágrimas) e cheio desse mesmo amor de que falamos.

…estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demónios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do AMOR…
Carta de São Paulo aos Romanos, capítulo XVIII

Fonte: Jorge Camargo

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

SENHOR DO IMPOSSÍVEL

"Tornamo-nos verdadeiramente cristãos quando descobrimos que Deus é o senhor do impossível e que precisamos do Espírito Santo para fazer o que não podemos fazer por nós próprios.

A vida do discípulo é ir até ao fim, até que se torne impossível e descobrir então que Deus pode tornar possível o impossível."

Jean Vanier, em "A Fonte das Lágrimas"

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O SERMÃO DO MONTE

«A maior parte das pessoas lê a Bíblia como se ela fosse um código moral revestido de autoridade sagrada, um conjunto de prescrições cuja estrita observância deveria nos assegurar uma existência isenta de culpa. Bela utopia, na verdade! 
Mas como a Bíblia não pode ser obediência em todos os seus detalhes, nasce um desespero, uma angústia neurótica de cometer algum sacrilégio, uma culpa que não encontra solução. (...)

O sentido do Sermão do Monte não será o de uma receita para se libertar da culpa por uma conduta meritória. Muito pelo contrário. É a palavra que abala, que sacode, que convence de morte aquele que não perjurou; de adultério aquele que não o cometeu; de ódio aquele que vangloriou de amor, e de hipocrisia aquele que era conhecido por sua piedade.Como se vê, é totalmente o contrário de um código moral; pode-se muito mais compará-lo com um diálogo socrático sobre a impotência do homem em atender à virtude autêntica e assim se justificar por sua conduta impecável.»

Paul Tournier, em "Culpa e Graça"

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]