quinta-feira, 28 de novembro de 2013

A SEMENTE DO EVANGELHO


"Os olhos de quem vai de começo em começo, numa vida de comunhão com Jesus Cristo, não se fixam nos seus próprios progressos ou retrocessos.
A semente do Evangelho, depositada nas profundezas do ser, germina e cresce dia e noite."

Irmão Roger, de Taizé, em "Viver em tudo a Paz do Coração"

terça-feira, 26 de novembro de 2013

O DOM HUMILDE DE NÓS PRÓPRIOS

"Para uma vida ser bela, não é indispensável possuirmos capacidades extraordinárias ou sermos muito dotados: existe felicidade no dom humilde de nós próprios. (...)


(...) A nossa confiança em Deus pode ser reconhecida quando se exprime no dom simples das nossas vidas: é acima de tudo quando é vivida que a fé se torna credível e se comunica.»

Irmão Roger, de Taizé, em "Em tudo a paz do coração"

domingo, 24 de novembro de 2013

DÁ-NOS IRMÃOS

Oh Deus, envia-nos loucos, os que se comprometem a fundo, os que se esquecem de si mesmos, os que amam com algo mais do que palavras, os que entregam a sua vida de verdade e até ao fim.


Dá-nos loucos, doidos, homens apaixonados capazes de dar o salto para a insegurança, para a incerteza surpreendente da pobreza.
Dá-nos loucos, que aceitem diluir-se na massa anónima sem pretensões de erigir um pedestal, que não utilizem a superioridade em seu proveito.
Dá-nos loucos, hoje, enamorados de uma forma de vida simples, libertadores eficientes, amantes da paz, puros de consciência, decididos a nunca trair, livres e obedientes, espontâneos e persistentes, doces e fortes.
Louis-Joseph Lebret op

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

DE OLHOS BEM ABERTOS

«(...) Hoje a COMPAIXÃO pelos pobres tem que ter os OLHOS BEM ABERTOS… É que, de um momento para o outro, alguém que bem conhecemos passou a ter fome, envergonhada e silenciosamente, porque foi atirado para a margem do desemprego e, nós somos peritos em maneiras de acolher e ajudar que não libertam das margens quem está caído ou preso nelas… Temos maneiras de amar que põem a nu um amor unicamente meloso e sentimental.

E, um amor meloso e sentimental é um amor sem vitalidade que é capaz de dar muitas oportunidades sem dar, nem se dar a si mesmo, uma única oportunidade de mudança…

Não poucas vezes nos sentimos “desfeitinhos de pena” mas, em nós não há lugar a uma réstia de ousadia que nos leve a ter Fé no Homem, a ter Fé no “outro” que não é senão “este”, homem, mulher, velho ou criança, que temos à frente dos olhos e ao alcance das mãos.

Só um Amor de OLHOS BEM ABERTOS nos dá aquele golpe de asa  capaz de fazer descer Deus do Céu, de tirá-Lo do Templo e de ir ao Seu encontro no Homem, bem no Centro do Humano, nas linhas de fractura onde o Humano se move e se vive, na saúde, na alimentação, na dignidade, na justiça. Era por aí que Jesus andava e escandaliza.

É sempre Ele que nos aponta esse MODO TÃO ÚNICO DE AMAR - ENGENHOSO, CRIATIVO, NÃO JULGADOR, INCANSÁVEL, verdadeiramente HUMANO - a que chamamos COM-PAIXÃO!»

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O DEUS EM QUEM NÃO CREIO (2ª PARTE)

Eu nunca acreditarei:

no Deus que não precisa do homem;
no Deus-árbitro que só julga de regulamento na mão;
no Deus que exija sempre vinte valores nos exames;
no Deus capaz de ser explicado por uma filosofia;

no Deus incapaz de amar o que muitos desprezam;
no Deus insensível diante de uma rosa;
no Deus incapaz de perdoar o que muitos condenam;

no Deus para quem os homens valessem, não pelo que são, mas pelo que têm ou representam;

no Deus que não aceita uma cadeira nas nossas festas humanas;
no Deus que, para nos tornar felizes, nos oferecesse uma felicidade divorciada da nossa natureza humana;

no Deus que só os de idade madura, os sábios, os instalados, podem compreender;
no Deus asséptico (=desinfectado), elaborado no gabinete por tantos teólogos e canonistas;
no Deus que “prefira” os ricos e os poderosos;

no Deus a quem agrade a beneficência de quem não pratica a justiça;
no Deus que criasse discípulos desertores das tarefas do mundo e
indiferentes à história dos seus irmãos;
no Deus que destruísse a terra e as coisas que o homem ama, em vez de as transformar;

no Deus que defendem os que nunca sujam as mãos, os que nunca se assomam à janela, os que nunca se deitam à água;
no Deus que agrade àqueles que dizem sempre: “vai tudo bem”.

Juan Arias, em "“O DEUS EM QUEM NÃO CREIO” (com ligeiras adaptações pessoais)

sábado, 16 de novembro de 2013

O DEUS EM QUEM NÃO CREIO (1ª PARTE)

Eu nunca acreditarei em:

«Um Deus que condene a matéria.
Um Deus que ame a dor.
Um Deus que acenda luz vermelha contra as alegrias humanas.
Um Deus mágico e feiticeiro.
Um Deus que se faça temer ou que não se deixe tratar por tu.
Um Deus que se torne monopólio de uma igreja, de uma raça, de uma cultura ou de uma casta.
Um Deus incapaz de compreender que as crianças têm o direito de brincar e são esquecidas.
Um Deus que se diverte, condenando.
Um Deus que “manda” para o inferno.
Um Deus que nunca tivesse chorado pelos homens.
Um Deus que não vá ao encontro de quem O abandonou.
Um Deus que exija do homem que, para crer, renuncie a ser homem.
Um Deus dos que creem que amam Deus porque não amam ninguém.
Um Deus que não possa ser percebido nos olhos de uma criança ou de uma mulher bonita ou de uma mãe que chora.
Um Deus que não tivesse nascido de uma mulher;
Um Deus no qual eu não possa esperar contra toda esperança. (...)

Sim, o meu Deus é... outro Deus».

Juan Arias, em "O Deus em quem não creio" (com ligeiras adaptações pessoais)

domingo, 10 de novembro de 2013

SE QUERES SABER QUEM ÉS


«O Cristianismo (...) não propõe a realização do homem nas suas ambições, mas sim a sua perdição nas suas dádivas. Para Jesus, o homem, cada homem, existe para se dar, para se entregar. (...)

Se queres saber quem és, entrega-te ao mundo e aos outros. Nesse caminho de perda de ti, contigo te encontrarás. Assim, se queres possuir uma coisa, terás de a dar. É curioso: todos nós sabemos que, enquanto vivemos na avareza, parece que tudo se nos escapa, que nada temos entre as nossas mãos. (...)

Quando damos tudo o que temos, apodera-se de nós uma alegria energética que nos dá a sensação de que tudo possuímos, de que todas as coisas são nossas. (...)

Na medida em que nos entregarmos às palavras do Mestre Jesus, nessa medida nos serão dadas todas as coisas de que precisamos».

Gabriel Magalhães, em "Espelho meu - a leitura diária do Evangelho pode mudar a vida"

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

DECLARAÇÃO DE ETERNIDADE



«Não pode permanecer na morte quem gasta a sua vida pelo amor.» 



Acredito que de cada vez que uma Pessoa Humana diz a outra “Amo-te”, está a fazer-lhe uma Declaração de Eternidade, está a dizer-lhe: “Nunca morrerás! Viverás para sempre!” 

terça-feira, 5 de novembro de 2013

VERDADEIRA CONVERSÃO


«Converter-se a Deus é admitir que o Amor tem uma palavra definitiva em mim e na minha história». 

António Valério s.j.

sábado, 2 de novembro de 2013

CAMINHA A MEU LADO

Foto: @Elena Shimunova

Não lutes e não te esforces tanto, meu filho.
Não tens qualquer corrida a terminar, uma razão a provar,
um obstáculo a ultrapassar para ganhares o meu amor.
Já to dei.
Amei-te desde antes do primeiro sopro da criação.
Sonhei-te tal como moldei Adão a partir da lama.
Vi-te molhado quando saíste do ventre.
E então amei-te.

Aceita o meu jugo e aprende comigo, porque o meu jugo é agradável e o meu fardo é leve.
Pára de correr mais depressa que o teu passo;
Acabarás esgotado, sem forças, e consumido, antes de concluída a tarefa.
Avança ao meu ritmo, caminha a meu lado.

Pensas que não sei das exigências da tua vida?
Vejo-te lutares pela perfeição, ansioso por que te aceite.
Vejo-te contorceres-te para te adaptares à imagem que tens de mim.
Imaginas que não sabia quem eras quando te fiz, quando te teci no ventre da tua mãe?
Pensas que plantei uma figueira esperando que florissem rosas?
Não, filho, eu semeei o que queria colher.

Tu és o meu filho preferido.
Procura a tua alegria mais profunda e aí me encontrarás.
Descobre o que te faz ser mais verdadeiramente tu próprio
e fica a saber que aí estarei.
Faz o que te dá prazer
E estarás a trabalhar comigo,
A caminhar comigo,
A encontrar a tua vida
Escondida em mim.

Pergunta-me o que te apetecer.
A minha resposta é amor.
Quando quiseres ouvir a minha voz,
Tenta escutar o amor.
Como podes agradar-me?
Dir-te-ei:
Amor.
Queres conhecer-me?
Anseias por me seguir?
Queres chegar até mim?
Procura e dá amor.

Desmond Tutu e Mpho Tutu

A beleza que salva o mundo

"...Porque o amor, mesmo que em silêncio, está sempre germinando as primaveras.  Amar é a beleza que salva o mundo."  [Lu...