sábado, 5 de janeiro de 2008

Para ser livre...


Preciso ser Homem livre, por isso hoje medito sobre a indiferença.
Sou livre quando o egoísmo não se mistura com o amor.
Parece fácil, mas enquanto o meu amor estiver misturado com o egoísmo, nunca alcançarei o amor.

Faz parte da mesma realidade, o amor e a liberdade. Não duvido. Por vezes sinto a necessidade de uma purificação. Sinto que só posso entrar em comunhão com o meu Deus, quando em mim já não houver o mais pequeno sinal de egoísmo e de preocupação comigo mesmo.

Tenho a certeza e acredito que o meu Deus é Família de Amor, e que é somente um constante movimento para o outro. No meu Deus não há o mínimo de sinal de egoísmo. Sinto que tudo o que ainda me pertence, necessita de uma verdadeira purificação.

Suspiro e anseio pelo dia em que eu possa perguntar:
- Será que já sou capaz de amar verdadeiramente?

Suponho que a vida eterna é o amor e a alegria de amar. Suponho ainda que a alegria de amar é a mesma alegria de finalmente sair de mim mesmo e ser, como as três Pessoas da Trindade, puro movimento em direcção aos outros. Deus Amor, peço-te que me ajudes a ser cada vez mais.(os grifos são meus)

Um comentário:

A Flôr disse...

Olá Amigo :)

Mais uma vez digo.... bonita a redecoração do teu cantinho! Gostei!

Que nos 366 dias deste novo ano que agora começa, a vontade do PAI, se possa cumprir na nossa vida.

Um obrigado do fundo do meu coração, pelo amor e carinho que pudemos partilhar no velho ano de 2007. Que Deus nos ajude a contruirmos uma grande "teia" de Amor pela blogoesfera. :D

Fica bem, e que Deus derrame as Suas maravilhosas bençãos na tua vida e na da tua família.

Um abraço apertado e fraterno da Flor

(Desculpa, não tenho tido oportunidade de passar por aqui com a frequência que gostaria :D)

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...