terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Deixa-te ser inteiramente recebido


Em especial para o Pe. Sandro Rogério

Dar-te aos outros sem esperar nada em troca só é possível quando fores inteiramente recebido. Sempre que descobres esperar alguma coisa em troca do que deste ou ficas desiludido quando nada obténs em troca, é um alerta a que compreendas que tu próprio ainda não te sentes inteiramente recebido. Só quando te reconheces incondicionalmente amado - ou seja, inteiramente recebido - por Deus serás capaz de dar de graça. Dar sem pedir nada em troca é confiar em que as tuas necessidades serão satisfeitas por aquele que te ama incondicionalmente.
É confortável saber que não precisas de proteger a tua própria segurança, mas que te podes entregar completamente ao serviço do próximo.

A fé consiste precisamente em confiar que aquele que dá de graça receberá de graça, mas não necessariamente da pessoa a quem deu. O perigo está em te esgotares no serviço ao próximo, na esperança de que eles te recebam inteiramente. Em breve sentirás que os outros levam consigo partes de ti mesmo. Não te podes dar aos outros se não pertences a ti mesmo, e só podes possuir-te verdadeiramente quando fores inteiramente recebido num amor incondicional.

Muito do acto de dar e receber possui uma qualidade violenta, porque os que dão e recebem agem mais por necessidade do que por confiança. O que aparenta ser generosidade é realmente manipulação e o que parece amor é realmente um pedido aflitivo de afecto e amparo. Quando te reconheces como inteiramente amado, serás capaz de dar de acordo com a capacidade alheia de receber, e serás capaz de receber de acordo com a capacidade alheia de dar. Sentir-te-ás grato pelo que te foi dado sem te apegares a isso, e alegre com o que podes dar sem te gabares por isso. Serás uma pessoa livre, livre para amar. (os grifos são meus)


Henri Nouwen, em " Voz Íntima do Amor"

4 comentários:

Pe. Sandro Rogério disse...

Paulo, caríssimo, tua busca é tão bela quanto real. A tua sensibilidade e abertura para acolher a mensagem do Altíssimo é extraordinária. De nossa conversa outro dia e dos vários posts que leio em teu blog sempre me fica a impressão de que talvez tenha feito como Agostinho de Hipona... “Tarde te amei, ó beleza tão antiga e sempre nova... Tarde te amei... Procurava-te fora e estavas o tempo todo dentro de mim” (citação livre). Ou ainda, alguém que espera logo encontrar com mais clareza o que para os que te circundam já esteja tão claro. Continue cultivando a busca. Continue semeando em teu jardim. Ao seu tempo, será grande a floreira. Deus te abençoe com paz! Fique bem!

Discípulo de Jesus. disse...

Na minha opinião este livro do Nouwen é um dos que mais o identificam e nos identificam como seres humanos frágeis e carentes da graça.
Parabéns pelo post amado Paulo Costa!!!!

Maria João disse...

Ainda não li este autor, mas parece-me muito bom. É bom percebermos que Cristo está dentro de nós. Devemos procurá-lo dentro de nós, para O vermos também nos nossos irmãos em Cristo.


beijos

danieldliver disse...

ahaha, vc gostou? então ouça os outros trechos que coloquei por lá. Abraço!

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]