sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Dominique Voillaume - Viver para Deus (2ª parte)

Certa manhã Dominique deixou de aparecer no seu banco no parque. Os homens ficaram preocupados. Poucas horas depois ele foi encontrado morto na sua modesta habitação. Morreu na obscuridade de um cortiço parisiense.

Dominique Voillaume nunca tentou impressionar ninguém, nunca se perguntou se a sua vida era útil ou o seu testemunho significativo. Nunca sentiu que tinha de fazer algo grande para Deus.
O que ele de facto fez foi manter um diário. Foi encontrado pouco depois da sua morte na mesa-de-cabeceira junto da sua cama.
A sua última entrada é uma das coisas mais espantosas que já li:

«Tudo o que não é amor de Deus não tem sentido para mim. Posso honestamente dizer que não tenho interesse em coisa alguma que não seja o amor de Deus que está em Cristo Jesus. Se Deus quiser, a minha vida será inútil pela minha palavra e o meu testemunho. Se Ele quiser, a minha vida dará fruto através das minhas orações e sacrifícios. Mas a utilidade da minha vida é preocupação dEle, não minha. Seria indecente da minha parte preocupar-me com isso.»

Em Dominique Voillaume vi a realidade da vida vivida integralmente para Deus e para os outros. Depois de uma noite inteira de vigília de oração por parte dos seus amigos, ele foi enterrado numa caixa de pinho sem nenhum adorno no quintal da casa dos Irmãozinhos em Saint-Remy. Mais de sete mil pessoas de toda a Europa juntaram-se para presenciar o seu funeral.



Brennan Manning, em "O Evangelho Maltrapilho"

2 comentários:

Diogo disse...

Sem Palavras!
muito ótimo!
vou ler a 1º parte! rsrs

Abraço
Deus Abençoe!

Discípulo de Jesus. disse...

Amigo Paulo, eu precisava muito ler isto, sinto-me mais leve agora em relação a minha missão, muito obrigado.
Deus abençoe a sua sensibilidade.

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...