quarta-feira, 14 de maio de 2008

TU AMAS-ME

«Se Ele não acolhesse senão os que são dignos dele, quem acolheria? Não é Ele o amante das nossas almas, procurando o seu amor sempre e em primeiro lugar?»

... o que caracteriza o cristão, não é que ele ame a Deus, mas é que ele acredite que Deus o ama.
Esta convicção apela a uma viragem do meu olhar. Em vez de lançar os olhos sobre as minhas faltas e os meus limites, sobre a tibieza do meu amor, ergo a cabeça, contemplo o Senhor, não cessando de repetir: Tu amas-me, Senhor, é maravilhoso! Esta «conversão», que me descentra, faz-me passar do «eu» para o «Tu». O importante és Tu, a certeza do teu amor, de tal modo deslumbrante que não vejo mais que ele.

É por causa do que Tu és que me amas e que me amas como eu sou. Faz, Senhor, que esta convicção habite em mim, enraizada, mesmo nos dias de trevas. «Ele ama-nos porque é bom, não porque nós sejamos bons - as mães não amam os seus filhos extraviados?» - (Michel Lafon, em "Orar 15 dias com Charles de Foucauld")

Nota: as palavras em itálico são de Charles de Foucauld

Um comentário:

barbara disse...

Nossa!!!!!!!!
è muito bom esses trechos aqui!!!
Deus abençoe sua vida mano!!
Isso aqui é bom demais,......

Palavras inspiradas pelo Espirito Santo,...

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]