domingo, 4 de maio de 2008

Amar e orar

"... O ponto de partida para entrar em oração é o de exercitar na fé a consciência de ser amado por Deus. Ser amado significa imensas coisas, mas baste-nos isto para já: é ser desejado, querido, acolhido e escolhido, aceite e respeitado, cada um como é com todas as suas qualidades e com todos os seus defeitos.
Deus acolhe cada um assim mesmo como é e não como deveria ser, pois o que cada um devia ser mas não é nem sequer existe. Deus não ama o que não existe. Se Deus amasse esse ser ideal, perfeito, criava-o porque amar e criar são acções simultâneas em Deus. Só existe de facto a realidade do que cada um é no presente com suas grandezas e misérias.
É a esse homem real que Deus ama, respeita, acolhe e escolhe, com predilecções que a nossa inteligência não pode sequer entender.
A consciência de ser amado por Deus vai ganhando corpo quando se insiste na oração e na contemplação silenciosa da vida de Jesus Cristo." - Luís Rocha e Melo S. J. , em "Se tu soubesses dom de Deus"

4 comentários:

Ashley disse...

Olá!!!
Estava passeando pelos blogs e achei esse
gostei daqui!!!
último post mt lindo
=D
sou nova na vida cristã e no blog

Parabéns belo blog!!!
=)

Maria João disse...

E é tão bom saber que Ele nos ama....

Bons livros, Paulo! Continua a ser assim, o rosto de Cristo!

beijos em Cristo e Maria

Maria João disse...

Olá!

Há pouco não o disse... Obrigado pela "distinção". Geralmente não faço um post, mas agradeço ... em nome do Espírito Santo...

Tenho-te ajudado na caminhda.... Tu também me ajudas na minha.

beijos em Cristo e Maria

Nelson Viana disse...

“A consciência de ser amado por Deus vai ganhando corpo quando se insiste na oração e na contemplação silenciosa da vida de Jesus Cristo”

Esta é a grande verdade da oração: o silêncio.

Recordo algumas palavras de um livro sobre oração:

“...Lembra-te que a oração é essencialmente um encontro. É uma relação amorosa: de Deus por ti e de ti por Deus.
Tu cria a relação: recebe Deus com pobreza e com amor. E deixa-te amar. Recorda que orar é: “uma consciência pobre, aberta ao Amor”.
Estás relacionando-te com o teu Pai, como Jesus, e em Jesus. E podes deixar essa relação em silêncio, submergindo-te nela:
- dando-te conta de Deus com amor em silêncio
- deixando-te amar por Deus em silêncio.
A consciência, liberta de palavras, submerge-se, aprofunda-se, silencia-se...”

”...Deixa que a tua mente se afunde
no profundo de Deus,
que, ainda que não ouças as suas palavras,
em silêncio diz duas:
uma é o seu Filho Jesus;
e a outra, no seu silêncio,
no seu silêncio, és tu...”

In, Uma Cabana no Bosque, Nicolás Caballero, sacerdote claretiano

Um abraço fraterno,

Nelson Viana

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...