domingo, 9 de março de 2008

Confissões

Dedico este post ao Pe. Sandro Rogério

«Deixa-me dizer-te, meu caro, pode bem acontecer que vás através da vida sem saber que debaixo do teu nariz existe um livro no qual a tua vida é descrita em todo o detalhe. Aquilo do qual nunca te deste conta antes, vais relembrando aos poucos, assim que comeces a ler esse livro, e encontras e descobres... alguns livros tu lês e lês e não lhe consegues encontrar qualquer sentido ou lógica, por mais que tentes. São tão "espertos" que não consegues perceber uma palavra daquilo que dizem... Mas esse livro que talvez esteja logo debaixo do teu nariz, tu lês e sentes-te como se tivesses sido tu próprio a escrevê-lo, tal como - como é que hei-de dizer ? - tal como tivesses tomado posse do teu próprio coração - qualquer que este possa ser - e o tivesse virado do avesso de forma que as pessoas o consigam ver, e descrito com todos os detalhes(...)» - Fiodor Dostoievski, in "Pobre Gente"

«Não há no mundo livros que se devam ler, mas somente livros que uma pessoa deve ler em certo momento, em certo lugar, dentro de certas circunstâncias e num certo período da sua vida»- Lin Yutang




"Nada tinha para te responder quando me dizias: Levanta-te, tu que dormes, e ergue-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará (1) ; e a ti, que mostravas de todos os lados que dizias a verdade, não havia absolutamente nada que eu te pudesse responder, convencido da verdade, a não ser apenas umas palavras arrastadas e sonolentas: «Já vou, vou já, só mais um bocadinho.» Mas o «já vou» e o «vou já» não tinham fim, e o «só mais um bocadinho» prolongava-se em muito. Em vão me deleitava na tua Lei, segundo o homem interior, uma vez que outra lei lutava nos meus membros contra a lei do meu espírito e me levava cativo na lei do pecado, que estava nos meus membros (2). Pois é lei do pecado a violência do hábito, que arrasta e prende o espírito mesmo contra a sua vontade, sendo isso merecido, porque é voluntariamente que nele cai. (...)"

(1) Efésios 5:14
(2) Romanos 7: 22-23

"... Tu estavas junto de mim, eu suspirava e tu ouvias, flutuava e tu seguravas o leme, caminhava pela via larga do mundo e não me abandonavas."

"... quanto mais aguda era a preocupação, que roía o meu íntimo, sobre a verdade a que me devia agarrar, tanto mais me envergonhava de ter sido iludido e enganado durante tanto tempo com a promessa de certezas e de, com pueril erro e entusiamo, ter tagarelado tantas incertezas como se certezas fossem. Mais tarde tornou-se-me evidente que eram falsidades."

"Eu caminhava nas trevas e em terreno resvaladiço, buscava-te fora de mim e não te encontrava, Deus do meu coração; chegara ao profundo do mar, e desanimava, e desesperava de encontrar a verdade."

"E onde estava eu quando te procurava? E tu estavas diante de mim, mas eu afastara-me de mim e não me encontrava: e muito menos a ti!"

"Ó minha alegria que tardaste em chegar! Calavas-te então, e eu continuava a afastar-me de ti atrás de várias e várias estéreis sementes de dor, com um orgulhoso abatimento e um desassosegado cansaço..."

"(...) tu estavas junto de mim, eu suspirava e tu ouvias, flutuava e tu seguravas o leme, caminhava pela via larga do mundo e não me abandonavas..."

Santo Agostinho, em "Confissões"

2 comentários:

malu disse...

Vim dar uma espreitadela e deparo com livros, uii... e com S.Agostinho. Ai.. querem ver que já não saio de cá? :)

Obrigada, abraço.

Padre Sandro Rogério dos Santos disse...

Caríssimo Paulo!
Você, como sempre, gentil com as tuas dedicatórias.
Santo Agostinho é o ícone do “homem em busca de Deus”. Buscou-O em vários lugares, nas mais variadas criaturas, na própria inteligência e em experiências humanas distintas... Mas FOI encontrado por Deus quando olhou para si, lá no fundo do próprio coração. Dentre tantas coisas, podíamos destacar de sua história a coragem de mudar de vida, não se importando com que época (idade) isso ocorra! Por vezes, nos angustiamos na busca. E amiúde fazemos da busca uma fuga. Ao final, alguns nem sabem se estão buscando ou se estão fugindo. Resta-lhes apenas a remota constatação de que se movimentam. Paulo, seja abençoada a sua vida. Continue partilhando conosco (teus leitores) as tuas ânsias, as tuas conquistas, sobretudo os passos dessa tua caminhada espiritual. “Beba água no deserto e continue de fronte erguida” (cf. Salmo 109/110,7). Fique bem! Pax + + +

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]