quinta-feira, 30 de abril de 2009

A VERDADEIRA REDENÇÃO

«Neste mundo, a redenção não existe como um passado consumado, não existe como um presente concluído e definitivo; a redenção só existe como esperança. Neste mundo, a luz de Deus só brilha nas luzes da esperança que a sua bondade espalhou pelo nosso caminho.

Quantas vezes isso nos aflige: nós queremos mais, nós queremos o presente total, completo, indisputável. Mas, no fundo, somos forçados a concordar: poderia existir uma forma mais humana de redenção do que aquela que nos diz, a nós, seres do tornar-se e do estar a caminho, que podemos ter esperança? Poderia exisitir melhor luz para nós, seres em peregrinação, do que aquela que nos torna livres para seguirmos em frente sem medo, porque sabemos que no fim do caminho está a luz do amor eterno? (...)

Porque, se depender de nós, da patética chama da nossa boa vontade e da pobreza das nossas acções, não somos capazes de conseguir a redenção. Elas não são suficientes, por mais capazes que sejamos. A redenção continua a ser-nos impossível. Mas, em toda a sua misericórdia, Deus fez com que o que era impossível se tornasse possível. Tudo o que temos de fazer é dizer sim, com toda a nossa humildade.»

Joseph Ratzinger, em "Do sentido de ser cristão"

3 comentários:

mari-lou disse...

Obrigado pelas suas mensagens é pena que haja tão pouco quem fale de Deus sem medo.
Ele é muito nosso amigo e é Pai, nunca devemos de deixar de falar do Pai COMO NOSSO MAIOR AMIGO.

Um abraço.

Ecclesiae Dei disse...

Como nosso querido Ratzinger é bom com as palavras... que belo saber que a nós não é possível, mas Deus faz do impossível, possível!
Amém!
Excelente publicação...
Desculpe a ausência, sempre passo aqui, mas nem sempre comento.
Abraços
João Batista

Rosana Steimbach disse...

Gostei demais do texto, em ver palavras sinceras e profundas a respeito do evangelho de boas novas. Um dia um amigo perguntou-me, será que existe ser cristão sem ser humilde?

Então, abraços!

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]