quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

UM ACTO DE AMOR MÚTUO

«O Pai gera Jesus no Espírito que é amor. Ele o gera amando-o. Ora, as relações de amor se estabelecem na liberdade, e Jesus devia se deixar gerar.
Face ao Pai, a quem pertence a iniciativa, Ele devia desempenhar um papel, o papel da receptividade filial. Pois não se pode doar a quem não quer receber...

Jesus era o homem livre por excelência, descompromissado com as tradições dos escribas e dos fariseus, contrário à imagem que eles faziam de Deus, crítico dos chefes dos sacerdotes, porque abusavam do seu poder religioso, livre até de si mesmo em sua renúncia pessoal total. Mas, perante Deus, Ele viveu em submissão absoluta...

Sua submissão a Deus é expressa por meio de actos de liberdade...

Os sofrimentos encaminharam Jesus para um consentimento eterno. Um cristão que vive suas provações com espírito de fé e caridade torna-se disponível para com Deus, num grau de profundidade nunca antes experimentado. E assim foi com Cristo: "Embora fosse Filho, aprendeu, contudo, a obediência pelo sofrimento; e, levado à perfeição, tornou-se princípio de salvação para todos" (Hb 5, 8).
A paixão de Jesus nada teve de um castigo infligido a um Inocente, que Deus teria escolhido para sofrer em lugar dos pecadores.

O ancestral desobediente cede lugar ao novo Adão (Rm 5, 12-18) "feito obediente até à morte". A redenção é uma obra de obediência, por meio de amor mútuo: "Por isto o Pai me ama, porque dou minha vida para retomá-la... esse é o preceito que recebi do Pai" (Jo 10, 17s.)» (Pe. François-Xavier Durrwell, em "Cristo Nossa Páscoa")

3 comentários:

barbara disse...

aai isso é lindooo

Graça ivo disse...

É como se Jesus saísse de Si para que o Espírito do Pai tomasse o Seu lugar,com Seus Dons.
Jesus esvaziou-se de desejos próprios para a Vontade de Deus ser feita através Dele.
Muito lindo isso:essa capacidade de confiança e entrega irrestrita!
Podemos nos inspirar Nele!
Muita Paz à todos!
Graça

joaquim disse...

«A redenção é uma obra de obediência, por meio de amor mútuo»

Porque esta obediência já é uma acto de amor.

Abraço em Cristo

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]