sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Renúncia por amor

“Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”. (Lucas 14, 33)

Jesus nunca negociou a verdade para, desta forma, conseguir mais discípulos. Ele não esconde o facto de que segui-lo implica, sempre, abnegação. Existe uma cruz para cada um que deseja ir após o Salvador. A cruz, marca de vitória no cristianismo, deve ser, também, ainda hoje, um símbolo de abnegação, entrega, serviço e amor. Somente aqueles que compreendem isso podem, de facto, viver uma verdadeira vida cristã. Queremos as bênçãos provenientes da cruz; entretanto, não podemos fugir da renúncia que ela traz para a vida de todo aquele que, por crer, segue Jesus. Ser cristão é carregar as dores do outro para que este possa provar as bênçãos celestiais. Cruz e egoísmo não podem andar juntos. Cruz e egocentrismo se opõem, sempre.

Para aceitarmos uma cruz temos, certamente, que passar por um processo de mudança de paradigmas. Não conseguimos renunciar a nada deste mundo sem nos libertarmos do apego às coisas terrenas. A mente secular leva-nos a uma valorização e priorização de coisas que, no reino de Deus, estão em último lugar em importância. Por outro lado, coisas que o mundo despreza, no reino divino são as primeiras em prioridade e valor.
Entendendo estas verdades, podemos nos perguntar: por que sigo Jesus? Será que estou em Cristo pelas bênçãos tão claramente prometidas nas igrejas ou o amo de verdade? Estou disposto a renunciar a tudo pelo Redentor? Sigo-o para servir ou para ser servido? Estas são questões importantíssimas e que devem ser respondidas por cada um de nós, pessoalmente. Não somos salvos pelas nossas obras, mas, pela obra de Cristo. Todavia, todos os que já são salvos passam a fazer obras, por amar Deus e o próximo, obras manifestas pelo serviço e abnegação. Que esta renúncia, tão cara ao mundo, nos seja algo natural, proveniente de um amor intenso e sincero.

Fonte: http://www.devocionais.com.br/

Um comentário:

Nelson Viana disse...

Breves reflexões de alguém que tem Jesus por Mestre:

-Jesus ao aceitar ser coroado Rei com uma coroa de espinhos, transmitiu-nos a mensagem de que para entrar no seu reino, também nós temos de aceitar os nossos próprios espinhos.

-Actualmente procuramos a felicidade vivendo ao sabor das nossas paixões. Na realidade, só conseguiremos ser felizes, quando vivermos plenamente ao sabor da Paixão de Cristo.

Um abraço forte

Até breve

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]