quinta-feira, 19 de junho de 2008

A VOSSA BÍBLIA EM IMAGENS

«O padre Sertillanges, para nos fazer compreender a atitude do verdadeiro crente perante a criação, escreveu substancialmente o seguinte: alguns turistas aproximam-se, à noite, de um chalé de montanha. Ao vislumbrarem uma luz numa vidraça, nem sequer perguntam quem a terá acendido. Só o pequeno guia reconhece sob a chama, anónima para todos, uma mão querida: a da mãe, a da namorada...
E o seu coração bate e o seu passo estuga-se. E enquanto os viandantes dizem «é ali», ele murmura «é ela». Assim também o crente, diante das criaturas, ao ver filtrar-se por elas uma luz misteriosa, compreende: é Ele. E, dia após dia, vai avançando cada vez mais no conhecimento do seu Deus, depois de ter aprendido a decifrar as suas mensagens...


Se todas as criaturas falam, com efeito, do Senhor e em nome do Senhor, quanto mais o filho aos seus pais!
Escutai este pai de família, um dos meus amigos: «Obrigado, meu homenzinho. Eu ajudo-te a aprender as primeiras noções do catecismo; mas tu és para mim, a cada instante, palavra viva de Deus. Quando, brincando contigo, te ponho de pé em cima de uma mesa e te digo "salta!", atiras-te rindo a bom rir. Sabes que te agarrarei no ar!
Quando estás a dormir, já não é o teu riso cristalino que ouço, mas voz divina que me diz: "Tens uma fé semelhante à deste pequenino? Que arriscas, que pensas poder arriscar por Mim? E olha que os meus braços são muitíssimo mais fortes do que os teus..."


Obrigado, meu homenzinho, por seres tão frágil, tão desajeitado, por necessitares sempre de mim para tudo: para te atar os sapatos, para te cortar a carne no prato. Obrigado por correres para mim com gritos de alegria quando eu entro. Obrigado pelos teus olhos iluminados quando te ofereço o mais pequeno presente. Obrigado, obrigado!».

Aquele rapazinho era para o pai, que o via com um olhar de fé, uma Bíblia viva; sem esse olhar de fé, o pequenino seria unicamente uma palavra de Deus escrita numa língua desconhecida.
É preciso pedir incessantemente ao Senhor que renove o nosso olhar. «Porei o meu olhar no teu coração», promete Ele a quantos lho pedem. Então, o cônjuge, os filhos e todas criaturas se tornarão transparentes para nós, tal como tantos vitrais através dos quais nos atinge a luz, diversamente colorida, da face de Deus.» (Henri Caffarel, em "Na Encruzilhadas do Amor")

2 comentários:

Maria João disse...

Muito bonito!!!


Sinto muito este pulsar do coração, esta vontade de gritar "É Jesus!" quando estou na missão. E sinto cada vez mais a cada momento do meu dia... Afinal, o cristão é o Rosto de Cristo, logo está sempre em missão... Nem que seja através de um sorriso ou de uma oração que ninguém vê...


beijos em Cristo e Maria

v.carlos disse...

Mais uma citação de Henri Nouwen no meu blog...


Abraços Paulo,
amo visitar seu blog.

FIQUE NA GRAÇA!

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]