quinta-feira, 4 de março de 2010

PASSAGEM PARA A VIDA DIVINA

«O que é o Mistério Pascal, o Mistério da Morte e Ressurreição do Senhor?

A Páscoa é o centro de tudo.(...) É uma palavra que quer dizer passagem. Passagem para a vida divina. (...) A Páscoa é o centro da vida cristã. Mas a Páscoa é muito mais; é, numa palavra, a própria vida cristã. (...)

Jesus que sobe o Calvário a caminho da morte, na realidade vai a caminho da verdadeira vida, a caminho da liberdade.(...)

Tenho de compreender que cada uma das minhas decisões tem uma estrutura pascal. (...)


A nossa vida é um tecido de decisões; é através das minhas decisões que me construo, que me torno homem e homem livre. As minhas decisões têm uma estrutura pascal, são uma passagem pela morte.(...)
Toda a decisão é uma passagem pela morte, para sair da escravatura a caminho da liberdade. A minha decisão arranca-me à escravatura do meu egoísmo, porque sou sempre escravo do meu egoísmo. As minhas decisões arrancam-me à escravatura e fazem-me entrar no Amor.

Mas o arrancar-me à escravatura é, evidentemente, uma morte. É uma morte parcial, deixar o travesseiro, quando está frio e a névoa é densa, mas é a passagem para a liberdade e para uma liberdade verdadeiramente divina, uma vez que Cristo diviniza o que nós humanizamos.
Toda a decisão deve ser humanizante de certa forma, tornar-me mais homem, tornando os homens e o mundo mais humanos.(...)

O essencial da nossa fé, esta morte parcial, a morte que a minha decisão implica, é uma passagem à vida de Cristo. É uma ressurreição, uma passagem à liberdade, quer dizer, ao triunfo sobre todas as formas de egoísmo. (...)

Portanto, sou transformado, a pouco e pouco, pelo conjunto das decisões que tomo livremente e que fazem morrer a minha escravidão.»

François Varillon, em "Viver o Evangelho"

Um comentário:

busquesantidade disse...

"Minha decisão pode mudar o curso do universo." Isto é que o Pe. Pedro Cunha nos ensina em nossas Aldeias de Vida. Pode mudar o curso do universo prá melhor ou pior, mas que muda... isto muda... É algo muito parecido com o que você escreveu aqui, né mesmo? Abraço. Lourdes.

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]