quarta-feira, 3 de junho de 2009

A PORTA ESTREITA - Caminho da Purificação (2ª parte)

Franz Kafka conta a história de um homem que queria atravessar os portões de um castelo. Mas o porteiro impedia-o. Ele esperou diante da porta até ficar velho e doente. Quando estava a morrer, o porteiro fechou o portão dizendo: «Este portão era destinado só a ti.»

Há muitas pessoas que, durante toda a sua vida, não atravessam a porta que as conduz à vida. Preferem outras. Ou então têm medo de atravessar a porta estreita. Elas receiam os esforços, o ter de incomodar o porteiro até que ele as deixe passar. A porta estreita não é a porta do trabalho, mas porta que está destinada só para mim. Para atravessar esta porta preciso de me desfazer das ilusões que fiz de mim.

O caminho espiritual, como São Bento o entende, liberta-me de todo o lastro que eu transporto comigo, para poder entrar pela porta estreita para o caminho da purificação, o caminho que me conduz à pureza, o caminho no qual eu me torno eu próprio. Este caminho conduz-me à plenitude.

Anselm Grün, em "Bento de Núrsia - Mestre da Espiritualidade"

Um comentário:

joaquim disse...

Em linguagem imaginativa poderemos pensar numa porta estreita e em mim muito gordo, com uma grande barriga.

Não consigo passar na porta, nem de frente nem de lado, porque estou cheio de "mundo", de coisas supérfluas.

Só se fizer uma "dieta" de mundo, das coisas que são apenas acessórias é que perderei "barriga" e poderei passar na porta!

Abraço amigo em Cristo

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]