domingo, 18 de outubro de 2015

«A pobreza é um grande brilho que vem de dentro» 

Rainer Maria Rilke

«No fundo, são as nossas pobrezas, fragilidades, aflições, mansidões, procuras e sedes que dão a substância da bem-aventurança, a matéria da santidade. É naquilo que somos e fazemos, no mapa vulgaríssimo de quanto buscamos, na humilde e mesmo monótona geografia que nos situa, na pequena história que dia a dia protagonizamos, que podemos ligar a Terra e o Céu. Falar de santidade em chave cristã passou a ser isso: acreditar que a humanidade do homem se tornou morada do divino de Deus.»

José Tolentino Mendonça, in Pai-nosso que estais na terra

0 Comments: