terça-feira, 9 de novembro de 2010

O Homem

«Com o facto da Encarnação renunciou a todas as vantagens de ser Deus e submeteu-se a todas as desvantagens de ser homem...

...Aceitou-se a si mesmo como homem; e aceitou-se sem evasões nem compensações, sem recorrer à Sua divindade para utilidade própria; fê-lo sim, mas para utilidade dos outros. Foi totalmente fiel ao homem.
Nunca «atraiçoou» a Sua condição humana.
Tudo isso está expresso quando a Escritura diz que Jesus «desceu» até à condição de servo, feito igual a qualquer homem (Flp. 2, 5 ss).»

Ignacio Larrañaga, em "Mostra-me o Teu Rosto"

Nenhum comentário:

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]