quarta-feira, 17 de setembro de 2008

PORTA DE ESPERANÇA


"O vale de Acor é um vale perto de Jericó,
feito de desfiladeiros perigosos, cheios de serpentes, de escorpiões,
de enormes aranhas e de animais selvagens,
o lugar do medo onde se evitava penetrar,
o lugar de que todos se afastavam, que todos evitavam.
Ora Deus diz que este vale da infelicidade
pode tornar-se uma porta de esperança.
É muito misterioso e cheio de promessas.

Em cada de um de nós há um vale de Acor,
coisas em nós que não queremos olhar,
de que não queremos lembrar-nos nem aproximar-nos, coisas que contornamos,
de que nos afastamos porque nos fazem sofrer e todos nós temos medo do sofrimento.

Há pessoas, também, que não queremos ver,
que evitamos porque nos incomodam;
são demasiado diferentes,
demasiado sofredoras e o seu sofrimento causa-nos medo.

Ora Deus diz: se penetrares nesse lugar que procuras evitar,
ele tornar-se-á uma "porta de esperança".

Se te aproximares daqueles que são rejeitados,
que são evitados, que são excluídos,
que são esmagados ou que são escondidos em asilos e instituições,
porque incomodam e se tem vergonha deles,
então, descobrirás que eles são "porta de esperança".

Da mesma forma, se em ti te aproximas do que te faz sofrer ou te causa medo,
dos bloqueios, das durezas, das resistências,
das coisas de que tens vergonha ou que não queres ver,
se ousares penetrar Comigo no teu vale de Acor pessoal, diz o Senhor,
então isso tornar-se-á "porta de esperança".

Sós, não encontraremos o caminho.
É com Jesus que devemos avançar,
mão na mão.»

(Jean Vanier, em "A Fonte das Lágrimas")

Um comentário:

Ecclesiae Dei disse...

Busquemos abrir essa "porta da esperança" dentro de nós e para os irmãos!
Abraços fraternos.

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...