sábado, 7 de março de 2015

CAMINHAR CONTRA A «CORRENTE»


«Não devemos deixar-nos arrastar para as águas turvas do cinismo, da passividade e da amargura. Contudo, também não devemos pôr os óculos cor-de-rosa do otimismo ilusório. 

Acima de tudo, devemos rejeitar todo o tipo de droga sob a forma de ideologias que oferecem respostas simplistas ou receitas radicais de má qualidade para reparação instantânea. 

Devemos simplesmente manter-nos a caminho e fazer todos os possíveis por nos deixarmos governar mais pela nossa consciência do que pelas circunstâncias. Naturalmente, isto significará muitas vezes caminhar sozinhos contra a corrente, sem quaisquer perspetivas de «êxito» visível, e parecer excêntricos ridículos aos olhos dos «sábios deste mundo». Mas, se não quisermos tomar esse caminho, não será o sinal de que temos lido em vão o Evangelho da cruz?»

Tomás Halik, in A  Noite do Confessor

0 Comments: