terça-feira, 25 de junho de 2013

SERÁ ATEU QUEM TEM UM CORAÇÃO BOM?

Kierkegaard levanta uma questão inquietante: quem será mais ouvido por Deus? Será aquele que sabe a doutrina toda, mas tem um coração mau? Ou será aquele que, mesmo não sabendo a doutrina, tem um coração bom?

Ninguém tem dúvidas quanto à resposta. Jesus, quando apontou para o essencial, disse para aprendermos com o Seu coração manso e humilde.

O fundamental é que apostemos na totalidade. É possível (e, mais que possível, desejável) conhecer a doutrina e praticá-la. Porque a doutrina leva a isso. Não é a doutrina que nos impede de ter bom coração.

Às vezes, os ateus dizem não acreditar em Deus. Mas, no fundo, não acreditam é naqueles que falam tanto de Deus, mas não vivem segundo Ele.
 Em boa verdade, o máximo que um irmão ateu pode dizer é que não crê. Como é que ele pode decretar que Deus não existe?

No fundo, o que ele diz é que Deus não existe em tantos que se dizem crentes. Portanto, somos nós que mais argumentos damos, tantas vezes, para o alastramento da descrença.

Os problemas da Igreja são, cada vez mais, internos. De fora vêm as interpelações. Mas é de dentro que emergem os obstáculos.

Estejamos atentos. E sejamos humildes. Não seremos nós mais ateus do que muitos ateus? 





3 comentários:

Emmanuel disse...

http://emmanuel959180.blogspot.in/2013/06/pope-says-all-who-do-good-will-be.html

Emmanuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Costa disse...

Emmanuel, não compreendi muito bem seu comentário sobre o texto. Que perspectiva você acha que está errada? Que fé não parece católica? Vai contra que ensinamentos da Igreja e do Papa? Vai contra os de Cristo? Quem julga saber tudo e se amarra à letra dos textos descurando o espírito de amor e perdão?
Pode esclarecer-me melhor, por favor?

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]