segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

EXPERIMENTA O AMOR DE DEUS



«Da mesma forma que o sol aquece a pele e perpassa todo o corpo,
o amor de Deus quer incidir sobre todos os poros de nosso ser. 
O amor de Deus não é algo meramente cognitivo;
ele pode ser experimentado no contacto com a criação,
com o sol que nos ilumina ou o vento que nos acaricia ternamente.
O amor é sem objecto.
Ele simplesmente é.
Este também é um desejo que todos nós temos,
o de sermos simplesmente amor. 


Há aquelas pessoas visivelmente cheias de amor, totalmente permeáveis ao amor divino. Elas não estão apaixonadas por outra pessoa, mas irradiam o amor em todo o seu ser. Seu amor está presente no relacionamento com todos aqueles que elas encontram: têm a capacidade de se dirigir a cada um com total benevolência. Seu amor existe para os animais e plantas, para uma estátua ou uma pintura, assim como para a música. Está presente em cada momento. A presença destas pessoas nos faz sentir bem: irradiam amor; suas mãos têm algo de carinhoso. Não é possível descrever o que se passa connosco quando encontramos uma pessoa assim; de alguma maneira nos sentimos aceites, levados a sério, respeitados, amados; nosso coração começa a "degelar"; sentimo-nos livres, não precisamos ocultar nada, podemos ser realmente como somos.»


Anselm Grun, em "Abra seu coração para o amor"

3 comentários:

Anônimo disse...

lindíssima partilha.

Noreda Somu Tossan disse...

Onde está o amor quando se é mandado para o inferno?

Onde está o amor, quando as portas do céu são batidas em sua cara?

Onde está o amor "incondicional", quando ele está condicionado à servidão?

Se Deus existisse e fosse puro amor, ele não precisaria sujeitar o homem a um processo seletivo tão acirrado, onde muitos são chamados e poucos escolhidos.

Deus, mesmo este da psique humana, não é bom pois se fosse, acabaria com a dor agora.

Deus, mesmo este criado pela hamanidade, não é nada poderoso, se fosse, acabaria com o mal.

Mas talvez esse Deus imaginário seja mesmo bom, e até quer acabar com o mal, mas por não ter poder, não consegue.

Ou talvez, este Deus seja mesmo poderoso, mas por ser mau, não quer acabar com o sofrimento.

Paulo Costa disse...

Não é Deus quem escolhe, mas o homem é quem faz a sua escolha. Servidão?! A verdadeira liberdade está em amar e ser amado de forma incondicional. Só no amor somos livres.
Inferno?! Ninguém é mandado para o inferno. Deus é misericordioso e perdoa. Mas, infelizmente, nem todos estão dispostos a aceitar o seu perdão. Nem todos estão dispostos a perdoar como Ele perdoa. O inferno é não amar... é excluir-se do amor de Deus. É escolher a escuridão, o orgulho exacerbado o egoísmo, a satisfação do ego.
Será que Deus é responsável pelo mal, pelo sofrimento por não querer acabar com ele? Será que Ele não quer mesmo acabar com o sofrimento da humanidade? O poder de Deus é amar, respeitar a liberdade dos homens, respeitar as suas escolhas e decisões.

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...