terça-feira, 13 de abril de 2010

DOÇURA PROFUNDA


«Busco a doçura profunda,
a que nunca ninguém viu,
e cuja existência não pode ser posta em causa,
pois é a ela que devemos a beleza perfumada dos jacintos,
a luz nos olhos espantados dos animais e tudo o que,
sobre a terra e nos livros,
há de bom.»

Christian Bobin

Um comentário:

Felicia disse...

GRAÇAS SO BOM DEUS !!!

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]