terça-feira, 13 de janeiro de 2009

O DIÁRIO DE ETTY HILLESUM (4ª parte)



E continuamos a nossa «perigrinação» pelos preciosos diários de Etty Hillesum.

«Hoje em dia, é uma coisa ou outra: uma pessoa pode pensar «cruelmente» só em si mesma e em salvar a pele, ou deve distanciar-se de todos os seus desejos pessoais e render-se. E para mim a rendição não implica resignação, uma extinção, mas sim, lá onde Deus me puser por acaso, ser um amparo ainda naquilo que é possível, e não estar simplesmente repleta do próprio desgosto e privação.(...)

De minuto a minuto, vão-se despegando de mim mais desejos, anseios e vínculos a outros, estou pronta para tudo, para cada local deste mundo para onde Deus me enviar, e estou pronta a testemunhar sob qualquer circunstância e até à morte que esta vida é bela e prenhe de sentido, que não é culpa de Deus as coisas serem actualmente como são, mas culpa nossa. Foram-nos dadas todas as possibilidades para aceder a todos os paraísos (...)

Existem pessoas, a sério que é verdade, que no último momento põem aspiradores a salvo e garfos e colheres de prata em vez de ti, meu Deus. E há gente que quer salvar o corpinho no qual se acolhem somente mil medos e rancores. E dizem: «A mim não me lançam eles a garra.» E esquecem-se de que ninguém fica nas garras de ninguém, se estiverem nos teus braços.

Esta é a única coisa que podemos preservar nestes tempos, e também a única que importa: uma parte de ti em nós, Deus. E talvez possamos ajudar a pôr-te a descoberto nos corações atormentados de outros.

E, quase a cada batida do coração, torna-se-me isto mais nítido: que tu não nos podes ajudar, que nós devemos ajudar-te e que a morada em nós onde tu resides tem de ser defendida até às últimas.

Vou prometer-te uma coisa, Deus, só uma ninharia: não irei sobrecarregar o dia de hoje com igual número de preocupações em relação ao futuro, mas isso custa um certo exercício. Cada dia já tem a sua conta. Vou ajudar-te, Deus, a não me abandonares, apesar de eu não garantir com antecedência. (...)

Recomeço a ficar um bocadinho mais calma, Deus, por causa desta conversa contigo. Hei-de ter mais conversas contigo no futuro próximo e, deste modo, impedir que me fujas. Também hás-de viver tempos de maior privação em mim, meu Deus, não serás alimentado tão fortemente pela minha confiança, mas acredita que continuarei a trabalhar para ti e a ser-te fiel e não te expulsarei do meu território.

Toda a vida tive esta sensação: quem me dera que houvesse alguém que me pegasse pela mão e se ocupasse de mim; eu pareço forte e faço tudo sozinha, mas gostava tanto de me entregar completamente.»

Fonte: Diário de Etty Hillesum (1941-1943)

Nota: No Brasil, este livro foi editado com o título: "Uma Vida Interrompida - os Diários de Etty Hillesum" . Podem encontrar o livro aqui

4 comentários:

H K Merton disse...

Que maravilha, Paulo! Como é bom ser cristão!! A cada vez que eu travo contato com um depoimento desses, é como renascer novamente na fé, é como ter a esperança e o Amor renovados e ampliados dentro de mim!..

As coisas que Etty diz só podem ser entendidas pelos verdadeiros buscadores da Verdade, e depois de muito apanhar nesta vida, hoje eu posso afirmar com toda a certeza da minha alma: a Verdade é Ele, Jesus, o Cristo!

A Paz seja contigo por compartilhar essas preciosidades com todos os que estiverem dispostos a conhecê-las.

Marlene Maravilha disse...

Que lindo post Paulo!
Lembro-me depois da minha doenca, eu realmente entreguei-me a Jesus sem reservas. Ele é dono absoluto de mim. E vivo para a obra!
Como o testemunho edifica nossas vidas!!!!!
beijo grande e Deus te abencoe!
Convido-te a ir la no meu espaco!

joaquim disse...

Há vidas que são vida para os outros.

Esta é uma delas!

Obrigado Paulo, por a dares a conhecer.

Abraço amigo em Cristo

Graça ivo disse...

Como é difícl dar esse passo,fazer essa entrega. Mas uma vez que conseguimos,temos a felicidade de saber que Ele nunca mais nos devolve a nós mesmos! Somos inteiramente propriedade Dele,para sempre!
Obrigada,Paulo ,mais uma vez minha gratidão por essse testemunho de Amor e Fé!
Graça

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]