domingo, 29 de julho de 2012

SER

"... A morte onde cada um entra absolutamente só, levando consigo unicamente o que se deu.
O que não se deu fica aí e apodrece pouco a pouco; mas o que se deu é transformado em ser e vai com a pessoa para a eternidade. 
Porque o nosso ser constrói-se com o que damos..." 


François Varillon

Um comentário:

Anônimo disse...

Obrigada pela reflexão que partilou
neste post

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]