sábado, 7 de abril de 2012

O PODER DE CRISTO É O AMOR


«Na cruz, o Cristo encontra-se no ápice do poder... exactamente porque Ele se encontra no auge do amor! Ele mostra, então, que o verdadeiro poder é o amor e que nada é possível contra o amor.

Não é possível impedir o Cristo de amar: "Perdoai-lhes porque eles não sabem o que fazem..."
Até ao último instante, Ele é o mais forte. E Ele é o mais forte, na extrema fraqueza!»

(Jean-Yves Leloup, em "Amar... apesar de tudo")

6 comentários:

Anônimo disse...

"meu Senhor, meu tudo ..............


amargamente doce é o seu amor.


nosso Senhor, nosso Deus."

Maria João disse...

"Perdoai-Lhes, porque não sabem o que fazem!"

Estas palavras tocam-me profundamente. Em pleno sofrimento, pede ao Pai que perdoe quem Lhe faz tanto mal ...

E, nós, também o fazemos?


Unidos em oração

Anônimo disse...

Olhar a cruz é uma emoção.
É ver alguém que de forma voluntária e sem pedir nada em troca, sofreu horrores; é ver Alguém que sem ter pecado, carregou com os pecados de toda a Humanidade; é ver Alguém que sem ter culpa foi culpado e sem ser injusto foi injustiçado.
Olhar a Cruz também é sinal de alegria porque nela encontro sentido para a minha vida, encontro força para lutar contra as adversidades do dia a dia, encontro razões para também carregar a minha cruz.
Ao olhar a Cruz, encontro a solidão necessária para me encontrar comigo e sentir que não estou mais sozinha. Na Cruz e pela Cruz descubro uma lição de Amor única que me faz tomar mais consciência da minha existência.
Que a Cruz sirva para reflectirmos sobre a nossa existência, como arranjar forças para renascer e viver um Tempo Novo de Alegria e de Paz “acolhendo no nosso coração a salvação que Deus nos oferece através do seu filho Jesus”.
Neste tempo tão especial, que Ela sirva, tb, para incutir nos nossos filhos o dever/obrigação de conhecer melhor Jesus e só se conhece melhor Jesus quando ouvimos e reflectimos a Sua Palavra, participando na Eucaristia.
Há uma coisa que deve estar sempre presente no nosso coração: Jesus ao morrer na Cruz por todos nós deu mais do que aquilo que pede em troca.
Maria de Lurdes

Fruto do Espírito disse...

Com carinho para você!

SALMO 23

O SENHOR É MEU PASTOR,
Isto é relacionamento!

NADA ME FALTARÁ,
Isto é suprimento!

CAMINHAR ME FAZ EM VERDES PASTOS,
Isto é descanso!

GUIA-ME MANSAMENTE A ÁGUAS TRANQUILAS,
Isto é refrigério!

REFRIGERA A MINHA ALMA,
Isto é cura!

GUIA-ME PELAS VEREDAS DA JUSTIÇA,
Isto é direção!

POR AMOR DO SEU NOME,
Isto é propósito!

AINDA QUE EU ANDE PELO VALE DA SOMBRA DA MORTE,
Isto é provação!

EU NÃO TEMEREI MAL ALGUM,
Isto é proteção!

PORQUE TU ESTÁS COMIGO,
Isto é fidelidade!

A TUA VARA E O TEU CAJADO ME CONSOLAM,
Isto é disciplina!

PREPARAS UMA MESA PERANTE MIM NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS,
Isto é esperança!

UNGE A MINHA CABEÇA COM ÓLEO,
Isto é consagração!

E MEU CÁLICE TRANSBORDA,
Isto é abundância!

CERTAMENTE QUE A BONDADE E A MISERICÓRDIA ME SEGUIRÃO TODOS OS DIAS DE MINHA VIDA,
Isto é benção!

E EU HABITAREI NA CASA DO SENHOR,
Isto é segurança!

POR LONGOS DIAS,
Isto é eternidade!

Que o Senhor Jesus te abençoe e te guarde!

Em Cristo,

***Lucy***

http://frutodoespirito9.blogspot.com/

M. disse...

Não é possível ficar indiferente. Uma das Sete Palavras que Cristo proferiu na Cruz, toda a Humanidade já as escutou. Não são palavras de grande beleza ou fáceis, encontram-se ungidas de sangue e de sofrimento. Não são palavras apenas de origem humana! Impossível serem. Algum humano agonizando na Cruz seria falador assim, deste modo, nesta linguagem amorosa, carregada de Mistério e compreensível apenas à luz de um Amor único e próprio de Deus? De que outro modo podemos compreender que alguém, no momento em que se comete a maior injustiça da História consiga soltar estas palavras "Perdoai-lhes porque eles não sabem o que fazem..."?

Sem distinção. A palavra a brotar-lhe da boca ensanguentada no alto da cruz, envolvia todos, os grandes, os pequenos e os do meio. Sem distinção. Todos.
Aquele que fez desviar prodigiosamente o curso da História do Homem rendeu-se assim, sem desejo de vingança, opondo-se a uma religião dura e agressiva que denuncie, aja ou ataque com violência. Aquele que andou a pregar acusando e denunciando o mal e a injustiça, dá no fim de ser maltratado e injuriado, um perdão universal e incondicional.
Quanta diferença entre este e o perdão humano tão presente nas exclamações de revolta “ofendeste-me!”, “Não tens vergonha, viste como me falaste?”, “sim, perdoo-te, embora não o mereças”. E lá se vai atirando com a esmola do perdão das alturas humanas inacessíveis, um perdão que humilha para exaltar quem supostamente perdoa. Um perdão repugnante. Uma farsa. Mas Cristo disse:
- Pai, perdoa-lhes. Eles não sabem o que fazem!
Querendo apagar por completo a falta cometida. Porque o Seu coração não se sentiu verdadeiramente ofendido. Porque acreditava que eles não sabiam o que faziam. Quando se está pregado a uma cruz, prestes a morrer, não será a ocasião para sair da boca a maior verdade? Cristo foi a própria Verdade. Disse com a boca o que lhe saía do coração. Não fazia sentido enganar bondosamente o Pai. Apenas a chave do amor divino permite compreender este facto desconcertante.

António Jesus Batalha disse...

Navegando pelos blogs encontrei o seu, me deixou maravilhado pelo que escreve, também é uma bênção para mim. Gostei de poder encontrar pessoa que ama Jesus, e pela escrita também ama o próximo. Que o Senhor Jesus continue a derramar Sua bênçãos sobre sua vida, não poderia de deixar um convite: Tenho um blog O Peregrino e Servo, e pessoas como você me fazem falta como amigos, por isso se desejar fazer parte de meu blog eu ficaria radiante, de seguida irei retribuir seguindo também seu blog. Obrigado e as maiores bênçãos de Deus para si e família. António Batalha.

As velas

"Nas igrejas nada reza excepto as velas. Elas perdem todo o seu sangue. Consomem todo o seu pavio. Não reservam nada para elas, d...