domingo, 31 de maio de 2015

A CALIGRAFIA


Com o dedo escrevia as linhas

que desenharam as estrelas
no chão escrevia com elas
um enigma, um retrato, uma declaração
de amor que faltava inventar
a paixão de perdoar.
Como o céu de verão que arde
sem perder do azul a compostura
escrevia no chão, a luz na treva
um salmo, uma jaula aberta
para no ar a ave se alongar
uma velha estrofe da lei do coração.
Foi tudo o que escreveu na vida
um verso de Amor à sua altura.


J. T. Parreira

sexta-feira, 29 de maio de 2015

GRAÇA


«Deus dá a cada um não segundo a medida do merecimento daquele que recebe mas segundo a medida do amor daquele que dá!»

quarta-feira, 27 de maio de 2015

GRATIDÃO


«Gratidão é como estar a rir com Deus. 
É ver a Vida entrelaçar-se a Ele, 
como numa dança.»


domingo, 24 de maio de 2015

FRANCISCO


«Descendem do mesmo pai, enterrado sob a Bíblia: Abraão. Disputam entre si os despojos dele, com os dentes. A religião é o que une, e nada é mais religioso que o ódio: ele reúne multidões de homens sob o poder duma ideia ou dum nome, ao passo que o amor os liberta, um a um, através da fragilidade de um rosto ou duma voz.
Francisco de Assis vai à Palestina falar de um Deus que as multidões espantam e que as Igrejas aborrecem. Ele conta aos guerreiros as mesmas coisas que aos pardais. Não fala para convencer: convencer ainda é vencer, e ele não busca mais que o triunfo do canto fraco, sem armadura de ferro nem de língua.»

Christian Bobin, in Francisco e o Pequenino

sexta-feira, 22 de maio de 2015

UM DEUS À FLOR DA TERRA


«Nada do Altíssimo pode ser conhecido a não ser pelo pequeníssimo, por um Deus à altura da infância, um Deus à flor da terra.»

Christian Bobin, in Francisco e o Pequenino

terça-feira, 19 de maio de 2015



«Adoro uma bondade que é beleza, e não apenas ética.

Adora uma beleza que é bondade, e não apenas estética...»


Rui Santiago Cssr
https://www.facebook.com/homiletas?fref=ts

domingo, 17 de maio de 2015

A BELEZA



«A Beleza tem o poder da ressurreição.

Basta saber ver e esperar.
É por distração que não entramos no paraíso. 
Unicamente por distração.»


Christian Bobin

quinta-feira, 14 de maio de 2015

A FRAGILIDADE



«A fragilidade persegue o sonho de um mundo onde o vencedor é aquele que dá e que recebe amor».

Ermes Ronchi, in "Tu és Beleza"

segunda-feira, 11 de maio de 2015

TALVEZ NO ÚLTIMO ENTARDECER



Segundo António Couto, nas paredes de uma igreja de Emaús, à guarda dos Padres Franciscanos da Custódia da Terra Santa, que recorda os acontecimentos narrados no sublime episódio de Lc 24, pode ler-se em várias línguas um belo e significativo poema:

Todos os dias 

Te encontramos 
no caminho 
Mas muitos reconhecer-Te-ão 
apenas 
quando 
repartires connosco 
o Teu pão. 
Quem sabe? 
Talvez 
no último entardecer

sábado, 9 de maio de 2015


«Jesus não fala no evangelho como uma mãe que dá bons conselhos aos filhos, mas como um filho que conta, encantado e convencido, as coisas do Pai.»

quarta-feira, 6 de maio de 2015

O ESPÍRITO DE DEUS


«O Espírito é esse sopro, por vezes suave, por vezes impetuoso, que não desiste de nos reconduzir à nossa beleza original.» 

Carlos Maria Antunes

segunda-feira, 4 de maio de 2015

AQUELE QUE VIVE NO AMOR

Aquele que vive no amor, 
mesmo tendo poucas coisas, 
vive na abundância.
Amado, é livre. 
Por isso, não teme. 
E, não temendo, não precisa de acumular coisas, 

nem de fingir ser o que não é, 
nem de recear o amanhã. 
Não se incha, querendo ser o que não é. 
Não se diminui, deixando de ser o que é. 
Esvaziado de «coisas incertas», vive de graça. 
Na verdade, vive a graça.


P. José Frazão Correia, in "Entre-tanto"

sexta-feira, 1 de maio de 2015

POST SCRIPTUM


Que a tua vida

seja natural como o respirar,
que o teu peso para os outros
seja apenas o das pétalas,
que a tua gratidão seja ilimitada
e as tuas palavras favos de ternura.


Que todos os que se aproximem de ti
tenham vontade de cantar
e de encher de luz e canções
as suas noites,
de despir os lutos do coração
e compor as jarras da alegria.

Procura a lucidez
que afasta os medos,
e a humildade para permaneceres
profundo em ti,
livre na vida,
eterno no momento,
fiel ao que permanece."

Henrique Manuel, in Mas Há Sinais...