quarta-feira, 30 de outubro de 2013

O CAMINHO DA FÉ


Foto: @Elena Shimunova

«O caminho da Fé (...) não é uma rota de êxitos - de espetáculos pessoais. Trata-se, pelo contrário, de uma vida oculta. Quanto mais felizes somos, quanto mais profunda é a nossa felicidade, menos nos veem. Pode até parecer que a nossa biografia não passa de um fracasso, de um imenso apagamento. É nesta altura, porém, em que ninguém nos vê, que os nossos passos se tornam algo imparável.

E o que é que existe dentro de nós? Algo de tão impalpável, algo de tão imponderável como é o amor. Porque ser cristão consiste realmente em aprender a transbordar amor. Em ser amor, em cada momento que passa. E o amor não se vê ao mesmo tempo que intensamente é. Quem, amando, desaparece no exercício desse amor reaparece na eternidade». 

Gabriel Magalhães, em "Espelho meu"

domingo, 27 de outubro de 2013

O AMOR ABSOLUTO

Jesus disse: “Aquele que olha para traz quando já tem a mão no arado, esse não é apto para o reinado de Deus” (Lucas 9, 62)

"Por que vacilo tantas vezes no caminho para a fonte? 

Por que me agarro a coisas exteriores que me distraem do meu interior? 
O compromisso com o “reinado de Deus” exige-me limpeza de coração e uma entrega sem tréguas na busca da paz e da justiça – aí se revela o AMOR ABSOLUTO."


quinta-feira, 24 de outubro de 2013


Caía a noite e multidão não arredava pé… “Neste lugar despovoado não há nada para comprar”, disseram os discípulos a Jesus. Mas ele contestou: “Dai-lhe vós mesmos de comer.” (Mateus 14, 15-16)

"Deixar-me apanhar pela surpresa da resposta de Jesus é tomar a sério despojar-me das cercas que construí para proteger os meus “celeiros” e não me permitem ver para além de mim próprio".


Fonte: https://www.facebook.com/graode.mostarda?fref=ts

terça-feira, 22 de outubro de 2013

A CONFIANÇA EM DEUS


"A confiança em Deus faz nascer em nós um novo olhar sobre os outros, sobre o mundo e sobre o futuro; um olhar de reconhecimento e de esperança; um olhar atento à beleza". 

(Irmão Alois de Taizé: Quatro propostas para desobstruir as fontes da confiança em Deus)

domingo, 20 de outubro de 2013

ESCUTAR O AMOR

A um homem chamado Nicodemos, do partido dos fariseus, Jesus disse: “O que não nascer de novo não poderá entrar no reinado de Deus… Não estranhes se te disse que é preciso nascer de novo. O vento sopra onde quer: ouves o seu rumor, porém não sabes de onde vem, nem para onde vai…” (ver João 3, 1-8)

«Nascer de novo, tornarmo-nos num outro SER; num SER de CONFIANÇA. Antes de nascer, a criança não coloca condições… Nascer de novo para entrar no reinado de Deus é aderir a um outro projeto de vida – novo modo de SER e de VIVER. E assim surgirá, pouco a pouco, o “reinado” de Deus – uma Humanidade humanizada, fraterna e solidária. E tal como a criança quando nasce, as nossas opções, pessoais e coletivas, serão orientadas por uma TOTAL CONFIANÇA na VIDA – o vento que não sabemos de onde vem nem para onde vai…»


Fonte: https://www.facebook.com/graode.mostarda?fref=ts

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

SEGUIR A JESUS

Jesus disse aos discípulos: “O que quiser vir comigo, negue-se a si mesmo, carregue a sua cruz e siga-me. Se alguém quiser salvar a sua vida, há-de perdê-la; mas o que a perde por mim, a encontrará. De que serve ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a vida?” (ver Mateus 16, 24-28)

“As pessoas da Galileia, que escutavam Jesus, sabiam muito bem o que era ‘carregar a cruz’. Pelos aos caminhos da Galileia viam-se os sinais que indicavam onde haviam sido crucificados os galileus revolucionários que não suportavam a opressão dos legionários romanos. Por isso, quando Jesus diz aos discípulos que ‘segui-lo’ é ‘carregar com a cruz’, não está a referir-se a nada religioso, ascético, espiritual. Porque nada disso era ‘carregar a cruz’ para os povos que Roma dominava. (...) Seguir a Jesus é viver de modo a estar disposto a que o considerem subversivo e indigno de viver. E isso, não por ambições de poder, mas sim por causa de uma bondade que não se intimida diante as injustiças (...).”

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A FELICIDADE EM FORMA DE DÁDIVA


«A felicidade, aparentemente, nem sempre visita as melhores pessoas. Estas, por vezes, são as que sofrem mais.
Mas serão infelizes? Às vezes, a maior felicidade escorre mais pelas lágrimas do que pelo riso.

Fazer o bem, mesmo sem ser compensado, pode doer, mas não impede de vencer.

Eu acredito na felicidade em forma de dádiva. 

Eu creio na felicidade dos que sofrem, dos que dão, dos que se esquecem de si.
São os mais felizes. Os únicos felizes. Ainda que o não pareçam!»


Fonte: http://theosfera.blogs.sapo.pt/2123791.html

sábado, 12 de outubro de 2013

VEM TIRAR-NOS PARA A DANÇA



“Senhor, dá-nos viver nossa vida, não como um jogo de xadrez; onde tudo é calculado; 
não como uma competição onde tudo é difícil; 
não como um teorema que nos quebra a cabeça, 
mas como uma festa sem fim onde nosso encontro se renova, 
como um baile, uma dança, entre os braços da tua graça, na música universal do teu amor. 
Senhor, vem tirar-nos para a dança” 

(Madeleine Delbrêl).