quarta-feira, 31 de outubro de 2012


Jesus Cristo. Amor de todo o amor, 
estavas sempre comigo sem eu o saber. 
Estavas comigo e eu esquecia-Te. 
Eras o coração do meu coração e eu procurava-Te noutro lugar. 
Mesmo quando eu me afastava de Ti, Tu esperavas por mim. 
Agora chegou o dia em que posso dizer: 
Tu, o Ressuscitado, és a minha vida, estou em Cristo, sou de Cristo.

Irmão Roger, de Taizé

domingo, 28 de outubro de 2012

NO PRINCÍPIO, ERA O AMOR...


«Deus diz: "Antes de nasceres, já te tinha sonhado". Quando compreendermos que Deus nos amou primeiro, mesmo antes de nós O amarmos, nos enchemos de assombro. A contemplação não é mais do que esta disposição em que a pessoa é agarrada toda inteira na surpresa do amor.

Todos nós temos feridas, mas há sobretudo, em cada um, o mistério da presença de Deus.» 

Madre Teresa de Calcutá

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

SOBRE AMAR OS INIMIGOS


«A grande novidade do Evangelho não é tanto o facto de que Deus é Fonte de bondade, mas que os homens podem e devem agir à imagem do seu Criador: «Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso!» (Lucas 6,36). 
Através da vinda do seu Filho até nós, esta Fonte de bondade está agora acessível. Tornamo-nos, por nosso lado, «filhos do Altíssimo» (Lucas 6,35), seres capazes de responder ao mal com o bem, ao ódio com amor. Vivendo uma compaixão universal, perdoando aos que nos fazem mal, damos testemunho de que o Deus de misericórdia está no coração de um mundo marcado pela recusa do outro, pelo desprezo em relação àquele que é diferente.

As palavras de Jesus indicam duas maneiras de viver. A primeira é a dos «pecadores», dito de outra forma, dos que se comportam sem referência a Deus e à sua Palavra. Esses agem em relação aos outros em função da maneira como eles os tratam, a sua reacção é de facto uma reacção. Dividem o mundo em dois grupos, os amigos e os que o não são, e fazem prova de bondade só em relação aos que são bons para eles. A outra forma de viver não põe em primeiro lugar um grupo de homens, mas sim o próprio Deus. Deus, por seu lado, não reage de acordo com a maneira como o tratam; pelo contrário, «Ele é bom até para os ingratos e os maus» (Lucas 6,35).

Jesus chama assim a atenção para a característica essencial do Deus da Bíblia. Fonte transbordante de bondade, Deus não se deixa condicionar pela maldade de quem está à sua frente. Mesmo esquecido, mesmo injuriado, Deus continua fiel a si próprio, só pode amar

Impossível para os humanos entregues às suas próprias forças, o amor pelos inimigos testemunha a actividade do próprio Deus no meio de nós. Nenhuma ordem exterior o torna possível. Só a presença, nos nossos corações, do amor divino em pessoa, o Espírito Santo, permite amar assim.»

http://www.taize.fr/pt_article594.html

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O JEITO DE AMAR


«A identidade espiritual da pessoa, isto é, o seu jeito de amar é a veste nupcial com a qual vai tomar parte no banquete da Comunhão Universal. A vida pessoal e espiritual não se situa ao nível do físico, isto é, não se pesa ao quilo, não se avalia pelo volume, não se mede ao metro, nem se analisa pelo cálculo das superfícies. Para conhecer a qualidade e a grandeza da vida espiritual de uma pessoa basta analisar o seu jeito de amar.

É por esta razão que no Reino de Deus as pessoas são evidentes umas para as outras, pois a sua identidade consiste no seu jeito de amar. Por outras palavras, cada pessoa está presente na festa da Família de Deus com o jeito de amar que adquiriu enquanto viveu na História.

O amor é, portanto, o critério definitivo. O ser humano está a caminhar para a plena reciprocidade onde cada pessoa se possui na medida em que se dá. Isto significa que a pessoa, ao dar-se, não se perde e que será eternamente mais divino quem mais crescer na capacidade de amar...»

Para ler na íntegra: http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2012/06/imagem-de-deus-no-amor.html


domingo, 21 de outubro de 2012

SEM MIM...


«Sem mim, nada podeis fazer.» João 15,5


«Não tenho milagres para te dar. Mas tenho milagres para te propor.
Não tenho milagres para te fazer. Mas há milagres que podem acontecer entre nós.
Às vezes gostava que tivesses menos crenças acerca de mim e mais Fé em ti mesmo e do que nós podemos fazer juntos!
Assentas os pés na Esperança que te proponho, e em verdade em verdade te digo que estarás a condenar à morte os medos que te habitam. O medo é a noite da alma, a cegueira dos sentidos.
Conheço-te tanto quanto te amo e vejo-te tão bem quanto te quero. 
És maior que todos os teus pecados. Nada nem ninguém te poderá separar do meu amor. Não está ao teu alcance a possibilidade de eu deixar de te amar!

Há-de haver um dia para cada um de nós que levamos o belo nome de "cristãos" - quer dizer, os "crísticos", os que têm a pinta do Cristo Galileu - em que perceberemos que a Fé em/de Jesus é um estilo de vida, é uma vida com estilo, um certo estilo, um estilo certo...»

Rui Santiago 

http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2012/07/recado.html


sábado, 20 de outubro de 2012

A BELEZA DE DEUS



«Deus não nos seduz com a sua eternidade, mas com a beleza dos gestos de amor de Jesus Cristo, com os sulcos traçados na consciência pelos encantos do mundo que existe.» 

Autor desconhecido

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

É BELO PERTENCER A CRISTO



«A sua vida era ditosa, feliz: era um rabino que tinha a alegria de viver, que gostava dos banquetes e das flores do campo, que sabia apreciar as belas pedras do templo e o perfume vertido sobre ele, o abraço das crianças e a carícia dos cabelos imbuídos de nardo da amiga.
Que significa obter a fé? É adquirir a beleza do viver, descobrir que é belo viver; é belo amar, criar, gerar, pôr a vida nas mãos de quem põe a sua vida nas tuas. É belo pertencer a Cristo e ao Evangelho, porque tudo tem um sentido positivo, tudo se encaminha para a vida e não para a morte, para um desfecho luminoso aqui e na eternidade. Para uma vida boa, bela e venturosa.»

Ermes Ronchi, "Tu és Beleza"

domingo, 14 de outubro de 2012

DEUS DA FRAGILIDADE


«Não quero um Deus que se erga na justiça absoluta, no poder ilimitado, na perfeita inteligência. Seria um Deus que não sente a necessidade de se inclinar numa carícia, quando se eleva um gemido de dor. 
Pelo contrário, o meu Deus é Jesus: que conhece a pressão do medo, a dor da recusa, a paixão do abraço, o calafrio pela carícia dos cabelos embebidos em nardo da mulher pecadora e amorosa.
Um Deus que me concede o direito de ser débil, «cana rachada», frágil como um homem e não hirto como um herói. E não me condena se sou mecha fumegante, mas pega neste meu fio de fumo, presságio de fogo possível, trabalha-o e protege-o, até dele fazer irromper de novo a chama. Não acaba por quebrar a cana rachada que eu sou, mas enfaixa-a como se fosse um coração ferido. Deus da fragilidade.»

Ermes Ronchi,em  «Tu és Beleza»

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

AS SURPRESAS DE DEUS


«Deus nunca esgota as surpresas. Para quem sabe ver e amar, todos os dias são cheios delas, até à hora derradeira. Então a melhor surpresa de Deus cairá nas nossas mãos porque soubemos como ver e o que amar.»

P. Dennis Clark 

domingo, 7 de outubro de 2012

"Não te deixes desencorajar pelos fracassos. Se procuraste fazer a vontade de Deus, cada fracasso pode ser um êxito aos seus olhos, pois foi esse o modo escolhido por Deus. Repara no exemplo de Jesus na Cruz."

Francisco Xavier Nguyen Van Thuan

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

INTIMIDADE COM DEUS

"O tempo da oração é um momento de intimidade com Deus, que é teu Pai. Não é como escrever uma composição; está em jogo o coração, e não a cabeça. Não esforces o cérebro nem coces a cabeça para saber como te hás-de apresentar a Deus."

Francisco Xavier Nguyen Van Thuan

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

POR AMOR A DEUS

"O explorador do fundo do mar ou o astronauta, na sua nave espacial, lançam-se à aventura em nome da ciência. Quando tu deixares tudo por amor a Deus, talvez arriscando todo o teu ser por Ele, então a autenticidade da tua vida interior tornar-se-á evidente aos olhos dos outros."

Francisco Xavier Nguyen Van Thuan

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

CARIDADE


Um ancião disse: «Tudo o que distribuis como esmola por temor a Deus, não o dês com dureza e frieza, mas olha o pobre com alegria na alma e com um rosto doce, e eleva-o assim acima de ti com honra, sabendo que a oferenda ao pobre é do agrado de Cristo e que o Senhor ama aquele que dá com alegria».

Dizem os que o conheceram, que o aba Agatão, quando tinha de ir fazer compras ao mercado, olhava à sua volta para escolher o vendedor. Se visse uma viúva em dificuldades com o objecto que ele pretendia adquirir, perguntava-lhe: «Por quanto vendes isso?» E dava-lhe o que ela lhe pedia; mas, se não tivesse dinheiro suficiente, dizia-lhe apenas: «Perdoa-me».

Um irmão foi ter com uma viúva para lhe comprar pano. E ela gemia, enquanto estava a servi-lo. O irmão perguntou-lhe: «O que tens tu?» A viúva respondeu: «Foi Deus que te mandou ter comigo para que os meus filhos tenham que comer». O irmão, ao ouvir estas palavras, teve pena dela, e sem que ela desse conta, deixou o pano que tinha pago, junto da viúva.

Do livro: «Os Padres do Deserto»