sábado, 30 de julho de 2011

SE QUISERMOS CONHECER UM HOMEM

«Se quisermos conhecer um homem, teremos de procurar Aquele para quem a sua vida está secretamente voltada, Aquele a quem, de preferência a qualquer outro, ele fala, mesmo quando aparentemente se dirige a nós.

Tudo depende desse Outro que ele escolheu para si. Tudo depende daquele a quem se dirige em silêncio, para cuja consideração acumulou fatos e provas, por amor do qual fez da sua vida o que ela é.»

Christian Bobin, em "Um Deus à Flor da Terra"

domingo, 24 de julho de 2011

SER AMADO

«Tenho a certeza que o ser amado é o motivo principal que nos leva a querer sempre ser mais.  


A experiência mais radical do Amor tem duas margens:
A Verdade, que me leva à Coerência.
A Liberdade, que me leva à Paz.» 


António Valério s.j.

sábado, 16 de julho de 2011

AMAR E SER AMADO

«Talvez aí resida o segredo da sua essência: o amor ama e deseja ser amado, o amor não pode senão amar e desejar ser amado, o amor não pode cessar de amar nem de desejar ser amado!(...)

A oferta divina de um amor incondicional não implica que esse amor não espere nada em troca, porque o duplo fundamento da sua gratuidade não tornaria a ser posto em causa pela expectativa de ser amado, presente no próprio Deus. (...)

Se uma resposta positiva da parte do ser humano pode ser tão ardentemente desejada, não é por ser uma condição a satisfazer para ser amado por Deus, mas, antes, por este continuar a ser o único meio de estabelecer, um dia, uma comunhão de amor vivida a dois, visto que não pode deixar de passar por uma escolha livre e mútua, sem a qual nenhuma relação se pode desenvolver nem desabrochar verdadeiramente.»

Irmão Emmanuel, de Taizé, em "Um Amor a descobrir"

quinta-feira, 14 de julho de 2011

O ÚNICO JESUS QUE EU CONHECI

«Pregue o Evangelho sempre, se(quando) necessário, use palavras.» - Francisco de Assis

Há alguns anos atrás um prisioneiro branco morreu de ataque cardíaco em Montgomery, no Alabama. Na prisão tivera uma profunda experiência de conversão e construído um relacionamento autêntico com Jesus. O presidiário da cela ao lado, um negro enorme, era cínico. Todas as noites o prisioneiro branco falava por entre as barras da prisão e falava ao seu companheiro sobre o amor de Jesus. O negro troçava dele; dizia que ele estava doente da cabeça, que a religião era o último refúgio dos insanos. Apesar disso, o prisoneiro branco passava-lhe passagens das Escrituras e repartia com ele os doces que recebia de algum parente. Durante o funeral do homem branco, quando o padre falou a respeito da vitória de Jesus na Páscoa, o robusto prisioneiro negro ergueu-se a meio do sermão, apontou para o caixão e disse:"Essse é o único Jesus que eu conheci".


Brennan Manning, in "A assinatura de Jesus"

domingo, 10 de julho de 2011

VIVER CRISTO

"Não nos servirá de nada fazer do Evangelho uma moral - porque não a poderemos praticar - se não fazemos dele ao mesmo tempo uma mística que consiste na nossa união com Cristo, na nossa inserção na sua pessoa. 


Infelizmente muitos dos que se dizem cristãos não chegam a fazer isto e vivem obcecados pelos mandamentos, dos quais defendem ferozmente os princípios sem chegar a praticá-los, não tendo a menor experiência do que é a oração, o olhar de Cristo sobre eles, a familiaridade com Ele, o abandono à sua misericórdia." 


A.M. Besnard

quarta-feira, 6 de julho de 2011

DEUS CONNOSCO

«A maioria de nós ignora a sua vocação. Não compreendemos que Deus precisa de nós onde eles nos encontramos, que Deus precisa de nós para continuar a Sua obra no mundo, que Deus conta connosco para aperfeiçoar e santificar o mundo! 
Que Deus nos confiou esta ocupação, estes filhos, este homem, esta mulher, aquela tarefa. E que cada um de nós é o administrador sábio e prudente que o seu senhor colocou sobre alguns dos Seus bens e dos Seus servos a fim de distribuir a cada qual o alimento em tempo oportuno.
O Senhor tudo poderia ter feito sozinho. Mas quis que o mundo fosse como é... ainda que fosse menos bom! Deus quis precisar dos homens. Quis que fôssemos necessários ao coroamento da Sua obra. «Fareis coisas maiores do que eu».
Deus confiou em nós. Confiou-nos a Sua tarefa. E espera que nós a realizemos. Precisa de nós para tornar feliz essa mulher, para tornar feliz esse homem. 
Precisa de nós para manifestar a Sua ternura, a Sua bondade, a Sua paciência, a Sua fé, a Sua coragem.

Aquilo que conta não é o género de missão que se recebeu, é saber que temos missão, é repetirmo-nos incessantemente: Deus está comigo. 
Deus envia-me aqui onde estou. Aquele que julga ter escolhido por si mesmo a sua própria vida está sozinho, triste, isolado. Mas, aquele que sabe que Deus escolheu por ele, que Deus lhe confiou o que tem a fazer cada dia, esse permanece com Deus, como o Filho. O Filho enviado ao mundo («O Pai me envia...») ficou unido ao Pai («O Pai nunca me deixa só... porque sempre faço o que Lhe agrada»).

"Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor. Estas coisas vos tenho dito, para que a minha alegria permaneça em vós, e o vossa alegriá seja completa." (João 15, 10-11) 

Enquanto considerarmos as nossas actividades apenas na sua perspectiva humana, elas nos hão-de balançar sem fim, desde o mais ingénuo entusiasmo ao mais amargo tédio. Cristo, porém, veio dizer-nos «estas coisas» para que a Sua alegria e a Sua paz tudo invadissem e unificassem.»
Louis Evely, em "Tu és esse homem"

sábado, 2 de julho de 2011

A FÉ DE DEUS EM NÓS

"Só Deus nos conhece para além das nossas aparências.
Só Deus nos continuará a amar, ainda que percamos todas as nossas qualidades, porque Ele não ama as nossas qualidades mas a nós. Só Deus nos suportará sempre.

Só Ele sabe o que de nós espera e todas as pessoas que fez depender de nós e os gestos que de nós atende.
Quando nos desprezamos a nós próprios, desprezamos todos estes projectos, todos estes desejos de Deus em nós, toda aquela alegria que Deus havia esperado de nós, toda a esperança que depusera em nós.
Estamos perante o essencial da religião: acreditar que aquilo que eu faço interessa a Deus. O verdadeiro ateísmo consiste em pensar o contrário, resignar-se ao contrário. Uma vida ateia é uma vida na qual tudo se passa, tudo se sente, tudo se enfrenta e tudo se sofre como se não acreditássemos naquela verdade. Quantos ateus entre nós?

Cada um de nós é propriedade de Deus. Uma propriedade que Deus nos confiou. Quase nunca sabemos para que serve, pois geralmente Deus cuida de no-lo ocultar. E é normal que nos interroguemos com frequência: para que poderá servir, para quem poderá ser verdadeiramente útil a nossa vida? A fé consiste em crer que Deus a considera útil, necessária ao Seu plano, indispensável à Sua alegria. » 


Louis Evely, em "Tu és esse homem"